03 agosto 2017

Piloto e tripulante ficam com termo de identidade e residência

A Procuradoria-Geral da República anunciou esta quinta-feira que o piloto e o tripulante da aeronave que, na quarta-feira, aterrou de emergência na praia de São João da Caparica, em Almada, ficaram sujeitos à medida de coação de termo de identidade e residência.

"Concluídos os interrogatórios, que foram conduzidos pelo Ministério Público, os arguidos ficaram sujeitos à medida de coação de termo de identidade e residência. As investigações prosseguem, estando em causa a eventual prática de crime de homicídio por negligência", refere uma nota da PGR.

Os dois tripulantes do avião ligeiro, que colheu mortalmente duas pessoas na praia de São João - uma criança de 8 anos e um homem de 56 - durante uma aterragem de emergência na tarde de quarta-feira, ficaram sujeitos à medida de coação de termo de identidade e residência, depois de ouvidos hoje pelo Ministério Público.

Fonte SIC Notícias