17 agosto 2017

Arderam casas devolutas em aldeia rodeada pelas chamas

O incêndio que lavra, esta quarta-feira, em Mação, no distrito de Santarém, cercou a aldeia de Louriceira, onde "arderam várias casas devolutas, mas não houve danos humanos".

"Eu já entrei na aldeia, fui eu quem a evacuou e sei quem lá ficou, seis ou sete moradores que não quiseram sair, mas que estão lá todos", disse o vereador Vasco Marques à agência Lusa, cerca das 17.15 horas, tendo referido que a última família a ser retirada no seu jipe "era composta por duas crianças, mãe, avó e bisavô".

Vasco Marques sublinhou que "não há danos humanos a registar".

Contactado pela Lusa, momentos antes, o presidente da Câmara de Mação, Vasco Estrela, disse que "a situação é muito, muito crítica em várias aldeias".

Segundo o autarca, as chamas estão "à entrada da aldeia de Chão de Lopes", e "a situação é crítica junto das aldeias de Chão de Codes, Louriceira, Vale de Amêndoa e Cerro do Outeiro, entre outras", tendo a aldeia de Vale de Amêndoa sido evacuada ao início da tarde.

Vasco Estrela confirmou que dois bombeiros sofreram ferimentos ligeiros durante o combate às chamas nesta aldeia e deixou críticas aos meios dedicados ao combate às chamas no concelho.

"Estão a correr atrás do prejuízo", afirmou, explicando que os meios aéreos deveriam ter chegado mais cedo ao local, para evitar o atual cenário de aparente descontrolo das chamas.

Fonte operacional assegurou ao JN que os bombeiros estão a fazer proteção pessoal à população, não havendo, até ao momento, informação de danos.

Na aldeia de Pereiro Fundeiro, na fronteira do concelho de Vila de Rei com Mação, as chamas estão também perto das casas, estando várias equipas de bombeiros a evitar que estas sejam atingidas.

Fonte: JN