20 julho 2017

...Só demonstra o princípio do fim, do ciclo da "nova filosofia"!!

A "Lei da Rolha"...

Sim, porque a rolha é um objecto usado para a retenção de algo, e no vinho serve também para nos indicar a qualidade do mesmo conforme a sua aparência.

E é isso mesmo que aqui se faz... aplica-se a "Lei da Rolha", e nesta "nova filosofia" retem-se a informação que interessar e cria-se uma nova forma de ditadura, onde só será dito "aquilo que eu quero, conforme eu quero, quando eu quero e nos parâmetros que eu quero!"
E não só a "rolha" aqui retem algo, como demonstra a qualidade do conteúdo, já que esta nova medida a primeira coisa que transmite é o atestado de Incompetência que é passado a todos os CODIS!!
CODIS esses nomeados por eles, e em quem, dizem eles, têm total confiança...

Esquecem-se porém que a Constituição da República Portuguesa diz que informar não é um dever de Estado, mas sim um direito do cidadão!!

No comunicado enviado pela ANPC esta medida proibitiva é justificada com "A necessidade de informação completa e actualizada em matéria de incêndios florestais libertando assim os COS para se concentrarem nas operações de Protecção Civil nos vários teatros de operações".

E então para a informação ser completa e actualizada, é transmitida por aqueles que demoraram 3h a desmentir a queda de um avião...

- É com duas conferências de imprensa dadas na sede da Autoridade em Lisboa, 2 vezes por dia, uma as 9h e outra as 19h, que essa informação será completa e actualizada?...
Ok, em caso de necessidade poderão fazer uma terceira conferência de imprensa... uau!

Caso não seja, os OCS podem sempre recorrer ao site da prociv...
Site esse que nas situações de maiores acontecimentos passa mais tempo indisponível que disponível, ou então não tem informação total e correcta. Já não é a primeira vez que se tem incêndios activos no país, e o site informa que não há ocorrências activas, principalmente às horas dos jornais nacionais. Ou então informa que tem 500 operacionais e 300 viaturas, e contas feitas dá 2 operacionais por viatura, isto se não houver viaturas sem tripulação alguma...

E quando a informação transmitida não corresponder à realidade ou for errada, não há problema, espera-se pela conferência alargada de terça-feira pelo Ex.mo Sr. CONAC, e depois informa-se correctamente. Nem que seja sobre um incêndio decorrido na quinta-feira da semana anterior...
Realmente...

Mas para os mais leigos, basta pegarem no Auxiliar de Bolso do SGO criado pela própria ANPC,  e reler essa NOP, NOP 1401/2012.
Norma Operacional Permanente essa que define o Sistema de Gestão de Operações, e que exige que em todo e qualquer Teatro de Operações tem de existir um Oficial de Relações Públicas na célula.
Ora, o Oficial de Relações Públicas tem de recolher permanentemente informação relevante para assessorar o Comandante das Operações de Socorro (COS) nas suas declarações aos Órgãos de Comunicação Social (OCS). Tem também, entre os demais deveres e para além de assegurar a ligação entre os OCS e entidades oficiais, que preparar o dossiê de imprensa, preparar eventuais conferências de imprensa, preparar os Briefings para os OCS com base na informação recolhida e prestar informações aos OCS e entidades oficiais por delegação do COS.
Tudo dito...

- Como é que será possível responder a todas as questões que forem feitas com informação completa sem estar no T.O.?

- Qual é a percentagem de conhecimento real dos factos e informação sobre a área de actuação, área afectada e combate, estando-se a centenas de quilómetros dos T.O, para se poder assim responder ou falar sobre a aldeia A ou a povoação B, combate na zona C, em questões levantadas pelos OCS?!

Se calhar o burro aqui sou eu, porque acho que dificilmente se conseguirá de longe, saber e poder responder a certas questões que possam ser levantadas nas ditas conferências!!
Se no terreno por vezes já nem se sabe se o avião caiu ou não, quanto mais ao longe...

Ou então, para não haver a possibilidade de não se saber responder a alguma questão, visto não se estar no Teatro de Operações, e não ter informação concreta para tal, de uma forma mais salazarista pode-se limitar os jornalistas.
E assim os OCS só poderão fazer perguntas para as quais se tenha informação para responder, até podem primeiro enviar as questões por email, para dar tempo de preparação de resposta, sugiro eu...
Tipo "á moda da bola"...

Só que se esqueceram foi que, sim senhor, a ANPC pode impedir os seus funcionários de falar, sejam eles CODIS ou 2°CODIS... mas NUNCA poderá exercer esse impedimento num Comandante de um Corpo de Bombeiros que esteja a exercer a função de COS!!

Pior e mais absurdo ainda..
Em todos os T.O.'s em que estão, ou forem activados os Planos Municipais de Emergência,  quer o Comandante Municipal quer o Presidente da CM eleito pelo povo, têm toda a legitimidade e direito de dar conferências de imprensa!!

Caríssimos, deixem-se de brincar aos Bombeiros de uma vez por todas!!

Respeitem o direito a toda a informação que o cidadão tem e não tentem condicionar ou limitar os jornalistas!!
Sabem que jornalista chateado é pior que mulher desconfiada, e mais ou cedo ou mais tarde...

Esta medida desesperada só demonstra o estado em como as coisas estão...
...Só demonstra o princípio do fim, do ciclo da "nova filosofia"!!

Digo eu, que não percebo nada disto...


Marco Francisco