08 setembro 2016

Peso pesado dos aviões de combate a incêndios já está a operar em Monchique

Um avião Beriev, o peso pesado dos aviões de combate a incêndios, está desde o início da manhã a combater o incêndio de Monchique, fazendo em cada voo descargas de água de até 12 mil litros, a capacidade máxima do aparelho anfíbio produzido na Rússia.

O avião em causa é um dos aparelhos cedidos pela Rússia a Portugal para ajudar no combate aos incêndios e tem um comprimento de 32 metros e uma envergadura total de 32,8 metros, pesando umas imponentes 27 toneladas quando vazio.

Beriev pode abastecer no mar com ondas de até 1,2 metros de altura

O Beriev pode operar com velocidades até 720 quilómetros/hora e abastece os depósitos de água em escassos 14 segundos, podendo operar o abastecimento no mar com ondulação até 1,2 metros de altura.

De acordo com o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) a altura da ondulação prevista para a costa do Algarve é hoje de um metro, o que permitirá – caso haja necessidade – o abastecimento com água do mar, uma solução que poderá vir a ser adoptada como recurso em caso e de dificuldade no abastecimento em albufeiras de água doce.

O envio da aeronave de pavilhão russo para o incêndio de Monchique foi confirmada à Agência Lusa pelo adjunto operacional da Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC), Marco Martins.

Vento forte pode complicar operações dos bombeiros

De acordo com os dados do IPMA, o vento que se faz sentir na zona de Monchique (40,3 quilómetros/hora), pode ser um factor negativo no combate ao incêndio que resulta de um reacendimento verificado ao fim da tarde de ontem. Recorde-se que durante a madrugada os ventos na Fóia chegaram a atingir valores superiores a 52 quilómetros/hora.

Já a humidade relativa do ar, superior a 80% é uma ajuda, ao mesmo tempo que a temperatura ( a rondar os 18 graus na última informação disponível, às 10 horas da manhã) poderá não atingir valores, ao longo das horas mais quentes do dia, que ponham ‘mais achas na fogueira’ do flagelo que se abate sobre a serra algarvia e as suas populações. Para o IPMA a temperatura naquela área do Algarve poderá atingir hoje máximas de 25 graus centígrados.

Fogo a caminho de Portimão com 405 homens a ajudar no combate

Conforme o POSTAL noticiou hoje às primeiras horas da manhã, o fogo de Monchique tem duas frentes activas e “está a progredir intensamente para Sul, em direcção ao concelho de Portimão”, disse ao POSTAL fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Faro.

Segundo fonte contactada pela agência Lusa, o fogo está a lavrar “em áreas de difícil acesso”, e o forte vento que se faz sentir na zona “dificulta o combate e faz com que o fogo progrida rapidamente”.

De momento não há casas em risco, sendo a prioridade dos bombeiros direccionada para a segurança de pessoas e do seu património, adiantou a fonte.

Segundo o site da Autoridade Nacional de Protecção Civil, no local estão, neste momento, 281 bombeiros com 87 viaturas, 27 militares dos GIPs da GNR com seis veículos e cinco operacionais da Força Especial de Bombeiros com uma viatura. A somar a estes meios a GNR tem no local seis homens e três viaturas e o INEM outros tantos meios operacionais.

Ao todo sete meios aéreos combatem o incêndio, quatro ligeiros, dois médios e um pesado, o Beriev.

Ao esforço total de meios envolvidos somam-se ainda 76 outros operacionais e mais 34 meios técnicos, num total de 405 meios humanos e 136 meios técnicos.

Fonte: POSTAL.PT