30 setembro 2016

Atacam militares que iam para fogo


Elementos do GIPS agredidos e insultados. Dois detidos pela PJ.

Em época de incêndios graves, como no verão passado, a chegada de meios para combater as chamas é geralmente saudada pelas populações. Mas, em Cinfães, o inesperado aconteceu: vários moradores do lugar de Covelo, na freguesia de Ferreiros de Tendais, decidiram insultar e agredir elementos do GIPS - Grupo de Intervenção de Proteção e Socorro - da GNR, que tinham acabado de chegar para ajudar a apagar um fogo que ameaçava casas. É que o grupo aterrou de helicóptero e o forte vento projetado pelas hélices incomodou os populares que participavam numa festa de aniversário, que decorria ao ar livre, na aldeia. 

Dois dos instigadores do motim foram detidos pela Polícia Judiciária do Porto. Pai e filho - um guarda florestal, de 58 anos, e um carpinteiro, de 34 - foram ontem à tarde libertados pelo juiz de instrução criminal. Estão indiciados pelo crime de incêndio florestal e ficam agora obrigados a apresentações quinzenais à GNR até serem julgados. O caso remonta à tarde do passado dia 28 de agosto, quando as chamas consumiam de forma assustadora mato e floresta na zona de Cinfães. Uma equipa do GIPS foi acionada para o local, para dar apoio aos diversos bombeiros de várias corporações que estavam já no combate ao incêndio, mas os estragos provocados na área da festa de aniversário pela aterragem do helicóptero provocaram a ira de muitos populares, que agrediram os militares, incrédulos com a situação que estavam a viver. 

Foram mesmo impedidos de combater o incêndio.

Fonte: CM