13 agosto 2016

Força Aérea pode reassumir combate e poupar dinheiro

Presidente da Associação de Oficiais da Força Aérea disse que, após um investimento inicial, o combate aos incêndios sairia mais barato

O presidente da Associação de Oficiais das Forças Armadas (AOFA) afirmou hoje que a Força Aérea está preparada para receber meios e reassumir o combate aos incêndios, considerando que uma decisão política nesse sentido pouparia dinheiro ao Estado.

"Se houver uma decisão do Governo a dizer que a partir de hoje a Força Aérea [FA] combate os incêndios, obviamente que não combate, porque há 20 anos desativaram os meios para utilizar nas aeronaves que permitiam combater os incêndios. Obviamente é preciso fazer um investimento e um investimento significativo", esclareceu António Mota.

No entanto, após esse investimento, o dirigente considerou que o combate pela FA de incêndios até ficaria mais barato ao Estado, porque os pilotos já são pagos e estão ao serviço do Estado o ano inteiro, além de que a FA já tem estruturas pelo país, como aeródromos e pistas, assim como equipas de mecânicos e de manutenção.

António Mota realçou que a FA "foi completamente afastada do combate aos incêndios há 20 anos", o que "coincidiu - e cada um tira as ilações que entender -- com o estabelecimento de uma série de protocolos com empresas privadas, que assim têm o monopólio do combate aos incêndios em Portugal".

Fonte: Diário de Noticias