30 agosto 2016

Comunidade portuguesa de Nova Iorque ajuda bombeiros portugueses Leia mais: Comunidade portuguesa de Nova Iorque ajuda bombeiros portugueses http://www.jn.pt/mundo/interior/comunidade-portuguesa-de-nova-iorque-ajuda-bombeiros-portugueses-5363664.html#ixzz4Ipxy04PR Follow us: jornalnoticias on Facebook

A comunidade portuguesa de Nova Iorque, que continua a reunir fundos devido aos fogos que assolam Portugal este verão, já juntou cerca de 30 mil dólares (27 mil euros) para doar à Liga dos Bombeiros Portugueses.


A 19 de agosto, a New York Portuguese American Leadership Conference (NYPALC) organizou no centro luso-americano de Yonkers, no Estado de Nova Iorque, um jantar em que foram angariados 20 mil dólares (cerca de 18 mil euros).

No mesmo evento, o Departamento de Bombeiros da Cidade de Yonkers (FDY) mostrou a sua solidariedade para com os colegas portugueses e doou mil dólares.

A American Foundation for Charities of Portugal, com sede na cidade de Nova Iorque, também já doou cinco mil dólares para esta causa.

A NYPALC, que atualmente representa 57 organizações portuguesas e luso-americanas do Estado, organiza um segundo evento de angariação de fundos a 18 de setembro no Centro Português de Mineola.

"A comunidade luso-americana do Estado de Nova Iorque não é indiferente ao que acontece em Portugal e, tem demonstrado a sua solidariedade de uma forma ativa", disse à Lusa a presidente da NYPALC, Isabelle Coelho Marques.

A comunidade portuguesa noutros pontos dos Estados Unidos também se tem mobilizado para ajudar Portugal, que tem mais de metade da área consumida pelas chamas este ano na Europa.

Em Washington, um grupo de imigrantes juntou-se para ajudar as vítimas dos fogos da Madeira através da delegação da Cruz Vermelha no arquipélago.

"Algo tão simples para nós significa o mundo para quem perdeu tudo. Além do mais, os estrangeiros têm ordenados mais altos. Nós facilmente conseguimos dar 40 euros por um micro-ondas. É mais complicado pedir isso a um português que tira 500 euros ao final do mês", explicou à Lusa Joana Godinho, a responsável pela angariação de fundos.

A área ardida em 2016, até ao dia 15 de agosto, é três vezes superior ao histórico dos últimos dez anos, correspondendo a 103.137 hectares, um valor quatro vezes maior que a média do que ardeu de 2008 a 2015, segundo os técnicos de proteção civil portuguesa.



Fonte: JN