13 agosto 2016

Chamas continuam a lavrar em Arouca e Águeda

Maiores preocupações dos bombeiros estão no distrito de Aveiro, mas há também dois fogos activos em Resende (Viseu) e Rebordões (Ponte de Lima).
Os bombeiros a trabalhar no concelho de Águeda, sexta-feira  | Rui Farinha/nFactos
Sábado amanheceu em Portugal ainda com os grandes dois incêndios que estão a concentrar centenas de bombeiros no combate às chamas nos concelhos de Arouca e de Águeda, e outros dois em zonas rurais dos concelhos de Resende e Ponte de Lima, informa a Protecção Civil.

Depois de uma semana intensa de trabalho para os bombeiros em Portugal continental e na Madeira, o fim-de-semana de 15 de Agosto começa com 461 bombeiros a combater ainda o incêndio em Janarde, nas freguesias de Civelo de Paivó e Janarde, no concelho de Arouca. O fogo, que deflagrou já na segunda-feira e que chegou a ser dado como dominado pelas 20h30 de sexta-feira, voltou a estar activo. Continua a apresentar, segundo a Autoridade Nacional de Protecção Civil, riscos mistos numa zona rural que também envolve povoamento florestal. Há uma frente activa junto a zonas habitadas. Logo pela manhã ainda não estavam envolvidos meios aéreos mas há 163 meios terrestre no terreno, onde se encontram também agentes da PSP e guardas da GNR.

Ainda no distrito de Aveiro, em Préstimo e Macieira de Alcoba (Águeda) e também desde segunda-feira com as mesmas características que o incêndio de Arouca, estão 277 bombeiros e 119 meios terrestres no combate às chamas, que ameaça com duas frentes zonas com povoamento. O fogo chegou a concentrar quase o dobro de homens no terreno, mas as expectativas do presidente da Câmara, Gil Nadais, comunicadas à agência Lusa pelas 2h desta madrugada de sábado eram que o fogo pudesse ser dominado esta manhã. O autarca estimou à Lusa que os incêndios tenham consumido mais de 30% da área do concelho. "Ardeu quase tudo até ao IC2, com excepção das zonas urbanas". O fogo destruiu um armazém de materiais de construção e alguns anexos, além de toda a madeira guardada nessa estrutura, indica ainda a Lusa.

Já no concelho de Resende, no distrito de Viseu e na freguesia de São Martinho de Mouros (da localidade de Vila Verde), deflagrou um incêndio na madrugada de sexta-feira que ainda concentra 69 bombeiros. Trata-se de uma zona com incêndio em mato com povoamento que se desenvolve em duas frentes.

A Protecção Civil dá ainda conta de um quarto fogo activo em Rebordões, no concelho de Ponte de Lima (distrito de Viana do Castelo) que consome mato desde cerca das 21h de sexta-feira. No local encontram-se 43 bombeiros e 15 meios terrestres, que se debatem com duas frentes activas.

Estes são os maiores incêndios activos em Portugal continental, sendo que a ANPC à hora de publicação desta notícia contabilizava um total de 53 fogos no território nacional, que mantêm no terreno 2438 homens, a maior parte dos quais – 1337 – a trabalhar no distrito de Aveiro. A GNR indicou também que as autoridades vão estar atentas, neste fim-de-semana prolongado de festas nas localidades, ao uso do fogo-de-artíficio e seus riscos para os incêndios.


Fonte: Público.PT