25 março 2016

Doze portugueses morreram em acidente de viação em França





Acidente aconteceu em Moulins, no centro de França. A carrinha onde seguiam as vítimas partiu da Suíça e teria como destino Portugal. Autoridades investigam se a viatura podia transportar os 12 passageiros.


Doze portugueses morreram num acidente em Moulins, Allier, no centro de França, quando a carrinha onde viajavam a caminho de Portugal colidiu com um camião. O choque frontal aconteceu na noite de quinta-feira. As vítimas terão idades entre os sete e os 60 anos, havendo entre elas uma criança e um adolescente. Já foi identificada a identidade de 11 das 12 que morreram. O condutor da carrinha, também português, de 19 anos, sobreviveu. O Ministério Público francês está a investigar se a carrinha estava em condições de transportar aquele número de passageiros.
O Consulado de Portugal em Lyon está a acompanhar os desenvolvimentos com as autoridades francesas, que estão a realizar as perícias relacionadas com o acidente, e fará o contacto directo com os familiares das vítimas, confirmou ao PÚBLICO o secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, José Luís Carneiro. Segundo a mesma fonte, em declarações à Lusa, "uma das famílias - um homem com 39 anos, uma mulher de 28 anos e uma criança de sete anos - são oriundos do concelho de Cinfães do Douro".

As vítimas morreram na sequência um choque frontal entre a carrinha e um camião, cujos dois condutores, italianos, sobreviveram. A carrinha desviou-se para a faixa contrária e colidiu de frente com o pesado. O condutor da carrinha sobreviveu e foi transportado para o hospital de Moulins, tal como os outros dois condutores e mais um sobrevivente de uma terceira viatura. É o relato feito pelo jornal regional La Montagne.

O veículo onde seguiam os portugueses saiu da Suíça por volta das 21h de quinta-feira, com destino a Portugal, e o acidente deu-se por volta das 23h45 na estrada nacional 79, em Montbeugny, no departamento de Allier. Na região, esta passagem é conhecida como a “estrada da morte”, escreve a AFP, que cita um vereador municipal que diz mesmo tratar-se da estrada mais mortífera de França.
O Procurador da República em Moulins, naquela região, diz que “é preciso saber se a carrinha estava equipada para poder transportar 13 pessoas [o condutor, mais as 12 vítimas]”, escreve o jornal La Montagne.

Segundo o procurador, há uma criança e um adolescente entre os portugueses mortos no acidente (inicialmente foi transmitido que as idades das vítimas eram entre os 17 e os 63 anos, mas entretanto a informação foi actualizada).



O secretário de Estado das Comunidades Portuguesas confirmou que as vítimas partiram da Suíça, da região de Lausanne, e que seguiam com destino a Portugal.


Para o local do acidente foram mobilizados 60 bombeiros, seis equipas dos serviços de emergência franceses, cerca de 20 polícias e agentes da direcção interdepartamental de estradas. Entretanto, diz o jornal Le Monde, os corpos das vítimas foram transportados para uma sala montada para o efeito pelas autoridades locais, na comuna de Montbeugny.

Para prestarem informações aos familiares e próximos das vítimas, o Ministério francês do Interior criou uma linha de emergência [o número é o 0033 (0) 811 00 06 03]. O ministério confirmou o início de um inquérito, cabendo às forças de polícias militarizadas (Gendarmerie) “apurar as circunstâncias exactas desta tragédia”.

“Os nossos serviços consulares em Lyon estão em contacto com as autoridades locais francesas para, não apenas acompanhar as conclusões do relatório policial, mas ao mesmo tempo acompanhar o processo de identificação legal das vítimas”, referiu o secretário de Estado, explicando que serão os serviços consulares, depois de identificados os corpos, a fazer o contacto directo com as famílias das vítimas.

José Luís Carneiro não confirmou se, tratando-se de uma carrinha de pequena dimensão, as vítimas são todas da mesma família e pessoas conhecidas entre si. O secretário de Estado remeteu mais informação para o momento em que forem identificadas as vítimas, depois de concluído o relatório policial. Também não quis adiantar, para já, outras informações sobre os contornos do acidente. “Estamos a aguardar confirmação oficial em relação a estes factos, que nos têm vindo a ser relatados de várias fontes”.

O secretário de Estado, que esta manhã viaja da cidade alemã de Düsseldorf para Lisboa, diz estar a fazer o acompanhamento à distância com os serviços consulares de Lyon até ao momento em que entrar no avião, regressando ao seu contacto assim que aterrar em Lisboa.

Os Governos português e francês lamentaram as consequências do acidente. “Quero transmitir, em nome do Governo português, uma mensagem de condolências às famílias enlutadas, ainda por cima num momento tão especial da vida colectiva e também para muitos dos emigrantes portugueses que se encontram espalhados pelo mundo”, afirmou José Luís Carneiro.

Na rede social Twitter, a conta oficial do Executivo reproduzia uma mensagem do primeiro-ministro António Costa: "Em meu nome e do Governo português, expresso as mais sentidas condolências às famílias dos portugueses falecidos no acidente em França".

Fonte: Público