22 dezembro 2014

Chaves: Bombeiros de Salvação Pública realizaram simulacro para testar operacionalidade

Três feridos graves e três feridos leves é o resultado do acidente de viação que ocorreu no sábado, 13 de Dezembro, junto à rotunda de Santo Amaro, em Chaves. As vítimas do acidente, que envolveu duas viaturas ligeiras e um ciclomotor, tiveram de ser desencarceradas de um dos automóveis que estava capotado lateralmente.
 
Este foi o cenário montado no simulacro realizado pelos Bombeiros Voluntários de Salvação Pública (BVSP) de Chaves no âmbito do Plano de Instrução Contínua da corporação dos bombeiros.

 
O simulacro de desencarceramento e socorro pré-hospitalar serviu essencialmente para “testar o que foi ensinado e treinado pelos bombeiros durante o ano”, disse o comandante dos bombeiros, nomeadamente o método SAVER que é utilizado neste tipo de ocorrências.


 Embora este tipo de acidentes não seja muito comum na cidade flaviense, outro dos objectivos deste simulacro consistiu em demonstrar à população “o que nós somos capazes de fazer e para o que estamos preparados”.
O alerta foi dado às 15h22 de sábado e pouco tempo depois os bombeiros chegaram ao local para prestar os primeiros socorros.

 Durante o acidente de viação foi necessário proceder ao desencarceramento de duas vítimas, uma mulher e uma criança, que estavam presas no veículo que circulava na rotunda, em direcção à Avenida de Santo Amaro, e que foi abalroado pelo automóvel que provocou o acidente.
De acordo com o comandante José Carlos Silva, a criança estava “encarcerada mecanicamente”, ou seja, “estava solta mas não conseguia sair pelos seus próprios meios”. Já a mulher estava “encarcerada fisicamente Tipo 1: tinha ferimentos, não estava propriamente presa mas tinha de ser retirada controladamente para não prejudicar a sua vida”, explicou.

 Segundo fonte dos bombeiros, o veículo ligeiro que provocou o acidente vinha de Casa dos Montes e foi embater na viatura que circulava na rotunda. Um ciclomotor foi também embater na viatura acidentada que se encontrava capotada. Ao todo estiveram envolvidos no acidente seis vítimas, sendo quatro delas menores, que foram encaminhadas para o hospital local.
Durante o simulacro, os soldados da paz puderam ainda pôr em prática os dois tipos de extracção utilizada no teatro de operações: a extracção imediata e a extracção controlada.

“A imediata é tudo que ponha em risco a vida da vítima que era o caso de um dos sinistrados que entrou em paragem cardiorrespiratória, tendo sido extraída da viatura imediatamente e dando-se início às manobras para tentar sustentar o transporte para o hospital”, afirmou.
No final do simulacro, que teve a duração de uma hora, o comandante dos BVSP garantiu que “tendo em conta o número de vítimas e as forças que estavam envolvidas a operação correu muito bem”, embora “haja algumas coisas que têm de ser reparadas e que serão agora avaliadas e treinadas posteriormente”, concluiu.

 No local estiveram os BVSP, a Polícia de Segurança Pública (PSP), a coordenar o trânsito, e uma viatura de desencarceramento. A operação, levada a cabo pela corporação dos bombeiros, teve o apoio da “Sucatas Tâmega”.

Jornada de Simulação de Emergência para Bombeiros da Euro-região Galiza/Norte de Portugal

No dia anterior, sexta-feira, foi realizado em Laza (Verín), no âmbito do Projecto ARIEM 112 – Assistência Recíproca Inter-regional em Emergências, uma Jornada de Simulação de Emergência para Bombeiros da Euro-região Galiza/Norte de Portugal.

 O simulacro realizado em Espanha consistiu num acidente de viação do qual resultaram várias vítimas que tiveram de ser salvas “em altura”, denominado pelos bombeiros de Grande Ângulo.
“Ficaram duas vítimas em meia encosta, com declive, a cerca de 118 metros de altura e uma vítima encarcerada numa viatura que tombou para a parte de baixo, com cerca de 780 metros”, contou José Carlos Silva, e acrescentou “após uma das vítimas ter sido resgatada, uma das ambulâncias dos bombeiros espanhóis capotou, ficando os ocupantes também encarcerados”. Outra das vítimas foi projectada da ambulância pela encosta, sendo resgatada através do método de Grande Ângulo. No total estiveram envolvidas no acidente de viação cinco vítimas.

 O simulacro realizado entre as forças portuguesas e espanholas teve como objectivo “testar o trabalho das forças em conjunto” de países diferentes.

 Este exercício contou com a colaboração de várias entidades, entre as quais Axencia Galega de Emerxencias, Direccion de Emerxencias e Interior, Servizo de Guardacostas de Galiza, Guardia Civil de Tráfico de Verín, Guardia Civil de Barrio, Seprona, Urgências Sanitárias-061, CDOS de Vila Real, Autoridade Nacional de Proteção Civil, INEM, GNR, GRUMIR de Laza, Bombeiros de Verín, Bombeiros de Xinzo de Limia, Bombeiros de Montalegre, Bombeiros Flavienses, Bombeiros de Salvação Pública e Bombeiros de Vidago.
 
 
fonte: Diário Actual