09 outubro 2014

Tromba de água em Braga causou transtornos "normais"

Paulo Jorge Magalhães / Global Imagens
A "tromba de água" que caiu, na quarta-feira à noite, em Braga, causou inundações, cortes de estrada, deslizes de terras e "entupiu" alguns túneis, mas "nada que não seja normal" na cidade, disse fonte da Proteção Civil.

Os bombeiros foram chamados a intervir em "pequenas inundações" ao longo do dia de quarta-feira mas foi depois das 21.19 horas que "houve mais ocorrências, desde caves e garagens inundadas, ruas alagadas, problemas de escoamento de águas, leitos de rios que transbordaram", explicou a fonte da Proteção Civil.

Em declarações à agência Lusa, o responsável autárquico pela Proteção Civil, vice-presidente da Câmara Municipal de Braga, Firmino Marques, adiantou que não houve feridos a registar e salientou a "rápida e eficiente" ação de bombeiros e da PSP, que "permitiu" que Braga "acordasse normal", sem ruas cortadas ou túneis alagados.

"Ainda podemos fazer muita coisa. O que não podemos é evitar que caia uma tromba de água como a que caiu ontem sobre Braga. Todos os escoamentos ficaram saturados, até nas cidades com melhores escoamentos isto aconteceria, tendo em conta o nível de pluviosidade que se sentiu num curto espaço de tempo", apontou Firmino Marques.

Segundo fonte no Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Braga, "apesar do grande número de ocorrências registadas depois das 21.19 horas, não foi nada de anormal em Braga. É o que acontece sempre que chove mais do que o que pode ser considerado normal".

Fonte dos Bombeiros Sapadores da cidade descreveu que os operacionais foram chamados por causa de "inundações, estradas interrompidas por estarem alagadas ou pequenos deslizes de terras, muitas coisas [em] que os bombeiros não podem fazer nada a não ser esperar que o escoamento funcione, mas que deixam as pessoas aflitas".

"Não há feridos a registar nem desalojados, apenas danos materiais, principalmente em viaturas que ficaram parcialmente submersas ou que tiveram pequenos acidentes", acrescentou.

Firmino Marques adiantou que "a autarquia está a planificar para o futuro a curto prazo intervenções no sentido de minorar, ou até eliminar, este tipo de situações", nomeadamente o transbordo de cursos de água.

"Estamos a estudar a criação de bacias de retenção nos cursos de água. Já foi feita uma primeira fase e vamos continuar com este trabalho, mas nem sempre se consegue prever o tempo e situações anómalas como a da noite de ontem [quarta-feira]", disse.

O responsável salientou, ainda, a "rápida e eficaz" intervenção das várias entidades da Proteção Civil para "resolver" os problemas que surgiram.

"Quem viu as imagens de ontem e hoje circula na cidade tem dificuldade em acreditar, porque de manhã já não havia ruas cortadas nem alagadas, fruto de um intenso trabalho durante a madrugada", salientou.

O CDOS registou, ainda, ocorrências noutros pontos de distrito de Braga, como Amares, Vizela e Barcelos. "Quase tudo nas zonas ribeirinhas, nada de especial", disse a fonte do CDOS.


Fonte: Jornal de Noticias