18 outubro 2014

Proteção Civil avisa bombeiros para não transportarem casos suspeitos

A Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) avisou os bombeiros de que não devem transportar casos suspeitos de Ébola, mas sim contactar o INEM ou a linha de Saúde 24.

Esta semana, a Liga dos Bombeiros Portugueses tinha manifestado dúvidas sobre o papel destes profissionais no âmbito da prevenção do vírus do Ébola em Portugal.
Num comunicado datado de sexta-feira e divulgado no site da Autoridade, são definidos os "procedimentos a adotar pelos bombeiros", bem como se recordam os critérios para considerar um caso suspeito.
Perante um caso suspeito, a Proteção Civil dá indicações aos bombeiros para não transportarem o doente. Deve ser contactada a linha Saúde 24 (808 24 24 24) ou o INEM, sendo depois a situação reportada ao Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS).
Na quarta-feira, a Liga dos Bombeiros tinha pedido uma reunião "urgente" à Autoridade de Proteção Civil para clarificar o papel dos bombeiros no combate ao Ébola.
A propósito da mobilização de meios, o diretor-geral da Saúde, Francisco George, disse no parlamento esta semana que foi decidido que a proteção civil não deve ser mobilizada para um risco que é por enquanto considerado baixo.
No gabinete de crise criado esta semana, dirigido pela Direção-geral da Saúde, não constam elementos da Autoridade Nacional da Proteção Civil.
Segundo a Organização Mundial de Saúde, o vírus do Ébola já causou mais de 4.500 mortos em cerca de 9.000 casos concentrados sobretudo na Libéria, Serra Leoa, Guiné-Conacri e Nigéria.
Portugal ainda não teve qualquer caso confirmado, apenas cinco casos suspeitos que se revelaram negativos.

Fonte: RTP