22 outubro 2014

Ninhos de vespas obrigam bombeiros a intervir

Três casos numa semana, cinco em mês e meio. Os Bombeiros Municipais de Leiria estão a receber pedidos de ajuda para destruir ninhos de vespa. Touria, Vidigal, Carvide, Quinta do Sirol e Azoia foram os locais onde foram sinalizadas, des­conhecendo-se, por agora, serão casos da vespa velutina, mais conhecida como asiática, ou de vespa europeia.

“Três dos casos que registamos, aparentemente, tra­tam-se de vespa asiática, mas não temos a certeza absoluta”, explica Horácio Santos, segundo comandante dos bombeiros municipais, esclarecendo que a corporação recebeu formação e adquiriu equipamento de proteção para lidar com estes insetos. Está também em contacto com bombeiros da região do Minho, onde há confirmação da presença desta espécie que ameaça a existência de abelhas e a produção do mel.

O número de alertas não preocupa Jacob Pinto, presidente da Associação de Apicultores da Região de Leiria, que admite que possa existir alguma confusão. “Não temos conhecimento de nenhum caso com a vespa asiática. Tanto quanto sei, os únicos casos confirmados situam-se no norte do país e estão a ser destruídos à medida que são descobertos”, afirma.

O apicultor não descarta, contudo, que a praga tenha conquistado terreno em território nacional e lembra que “as abelhas não estão preparadas para conviver com a vespa asiática”, que causa a morte das fabricantes de mel. Em caso de dúvida, reforça, devem ser os bombeiros a atuar e, sempre que possível, procurar confirmar a espécie que está a recolher o néctar na flora da região.

Até agora, os ninhos identificados en­contravam-se no interior de habitações, em altura e soterrados. “As pessoas não devem mexer, nem aproximar-se dos ninhos. Se o fizerem, devem ter proteção adequada”, alerta o comandante dos bombeiros.
 
 
fonte: Região de Leiria