01 outubro 2014

Morte de bombeiro sem indemnização

A família de Sérgio Rocha, o bombeiro que há oito anos morreu com mais cinco sapadores chilenos no incêndio de Famalicão da Serra, na Guarda, desistiu da batalha jurídica que travou com o proprietário do terreno onde começou o fogo sem receber indemnização.

O Tribunal da Guarda recusou imputar aos arguidos – José Silva, dono do terreno, e Tiago Gonçalves, empregado que limpava o mato – o pagamento de 177 mil euros pela morte do bombeiro, por considerar que a "simples limpeza de terrenos com recurso a uma motorroçadora não é uma atividade considerada perigosa para a produção de incêndio".

Segundo Daniel Rocha, irmão da vítima, "quatro habitantes da aldeia testemunharam no julgamento que viram várias fogueiras naquele terreno na manhã da tragédia".

Porém, a juíza não encontrou "qualquer presunção de culpa" aos arguidos, que disseram que o fogo terá começado com as faíscas lançadas pela máquina ao tocar numa pedra. Daniel Rocha está revoltado com as "muitas ‘pontas soltas’ deixadas pela investigação".

A família não vai recorrer da decisão, mas Daniel diz que "se a Justiça deixa de culpar em casos como este, podemos ficar horrorizados".


Fonte: Correio da Manhã