15 outubro 2014

Chuvas torrenciais causam terceira morte em Itália

Uma mulher de 73 anos que morreu, esta quarta-feira, soterrada devido a um deslizamento de terras em Muggia, Trieste, é a terceira vítima das chuvas torrenciais que caem desde o início da semana no norte e centro de Itália.

Na terça-feira, morreram duas mulheres, de 65 e 69 anos, depois de o veículo em que seguiam ter sido arrastado pelas águas de um rio na região da Toscana, no centro do país, que transbordara devido à forte precipitação.


O aumento do caudal do rio ocorreu alguns dias depois das inundações que se registaram em Génova (noroeste), onde morreu um homem de 57 anos e que causaram grandes danos materiais, tendo uma parte da cidade ficado coberta de água e lama.

O mau-tempo que está a afetar sobretudo o norte do país e que se caracteriza por chuvas torrenciais e concentradas em bátegas de poucos minutos, provocou o transbordo, em Trieste, de alguns rios, como o Corgnoletto, que inundou algumas ruas do centro da cidade.

Desde hoje de manhã, efetivos do Exército italiano deslocaram-se para as províncias de Parma e Alessandria para intervir em algumas localidades para ajudar a população a remover a lama, retirar a água das casas e caves inundadas e os objetos que obstroem as estradas, para repor a circulação.

A região de Emilia Romagna, à qual Parma pertence, pediu que seja declarado o estado de emergência, ao passo que o presidente da câmara da cidade, Federico Pizzarotti, criticou a falta de fundos para garantir a segurança do território perante este tipo de eventos meteorológicos.

Entretanto, em Génova, prosseguem os trabalhos para eliminar a lama, com a ajuda do Exército, e as condições meteorológicas tendem a melhorar, segundo as previsões.

JN