03 outubro 2014

Bombeiros de Carregal do Sal Comemoraram 75 Anos

Ministro da Administração Interna procedeu à imposição da Medalha de Mérito de Proteção e Socorro, grau prata e distintivo azul

Presidente da Câmara distinguido com Crachá de Ouro da Liga dos Bombeiros Portugueses

Bodas de diamante… Esta foi a data comemorada no fim de semana de 27 e 28 de setembro pela Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Carregal do Sal sendo o último dia aquele que maior visibilidade conferiu às festividades.

Para além da missa, foram as condecorações e louvores, na parada do quartel e depois, a Sessão Solene, no auditório do Centro Cultural de Carregal do Sal, presidida pelo Ministro da Administração Interna, Miguel Macedo e acompanhado na mesa pelo Presidente da Câmara Municipal de Carregal do Sal; Diretor Nacional dos Bombeiros; Presidente do Conselho Executivo da Liga dos Bombeiros Portugueses; Presidente da Federação dos Bombeiros do Distrito de Viseu; presidentes dos órgãos sociais da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Carregal do Sal e comandante do respetivo corpo ativo.

Sucederam-se os discursos de circunstância a que assistiram as muitas entidades convidadas entre os quais alguns deputados da Assembleia da República, eleitos pelo círculo de Viseu.

O Presidente da Assembleia Geral dos Bombeiros, Eduardo Abrantes lembrou a história da instituição iniciada em 22 de setembro de 1939. Reportando-se à antiga sede a que se referiu como ” aquela que mais saudade nos deixa (…)” garantiu “tudo faremos para que a nossa antiga sede seja restaurada, e que volte a ter o brilho que já teve e que volte a ser o ponto de encontro cultural que no passado tanto nos orgulhou como carregalenses” e terminou com palavras de esperança e confiança” se há quem duvide, (…) vejam bem patente no rosto destes homens e mulheres grande parte dessa esperança.”

Miguel Ângelo David, Comandante dos Bombeiros de Carregal do Sal, lembrou que 75 anos encerram momentos bons e também menos bons; referiu-se à coragem dos fundadores, aos comandantes e dirigentes anteriores, bombeiros e comunidade. Deteve-se no “ano horribilis” de 2013 para lembrar a perda dos “nossos magníficos, únicos e insubstituíveis bombeiros: a Cátia e o Bernardo. (…) e aludiu à colaboração e apoio que todos sem exceção têm tido na recuperação do Nuno Pereira e do José Sabino.” Depois foram condecorados bombeiros da corporação por anos de serviço e entregues louvores a pessoas/entidades, designadamente Marilia Pêga, Joana Lopes e Carmen Cristo; a Unidade de Queimados do Hospital de Santa Maria, nas pessoas de Luzalba Krebs e da Enfermeira Chefe Paula Prata); o Chefe de Batalhão Mike Mateiro e Carlos Rodrigues, do Banco Big, pela preciosa ajuda/colaboração perante a tragédia de agosto de 2013. Antes dessa entrega, o Comandante dirigiu palavras de estímulo às famílias dos bombeiros e a estes agradeceu a colaboração e a vontade para participar no processo mais difícil que uma organização pode alguma vez encontrar: A MUDANÇA.”

Coube ao Presidente da Direção da Associação Humanitária, José Ernesto Sousa, fazer os agradecimentos oficiais, em que destacou as comissões representativas das comunidades portuguesas nos Estados – Unidos, em particular a de Elizabeth e do Chefe de Batalhão Mike Mateiro; a comunidade; os sócios; empresas, entre elas a Euroralex (que contribuiu com as fardas de gala que os bombeiros vestiam) e a Quinta de Cabriz com vários patrocínios em eventos; a Fundação Lapa do Lobo; o Banco Big e em particular o Presidente do Conselho de Administração, Carlos Rodrigues, a quem foi ofertada uma simbólica lembrança; o Município e as Juntas de Freguesia da área de intervenção e o corpo ativo. Sobre o presente e futuro, José Ernesto Sousa vincou a aposta na renovação da frota e lembrou que vai ser construído um espaço-museu, no quartel, cujo nome será «Museu António Duarte», em homenagem ao homem, diretor e sócio benemérito que foi da associação. Dirigindo-se ao Ministro da Administração Interna, lembrou que a Associação aguarda há mais de um ano, a atribuição de um Posto de Emergência Médica – PEM – que disse ser de vital importância para o Concelho e convidou-o para presidir à inauguração das obras de ampliação do quartel e respetivo espaço-museu que deverá acontecer no 1º trimestre de 2015.

Hermínio Cunha Marques, poeta e historiador do Concelho, sócio benemérito da Associação, brindou depois a plateia com a leitura de um poema da sua autoria alusivo à efeméride que foi entregue a todos os elementos da mesa da Sessão Solene.

Seguiram-se as intervenções de Rebelo Marinho, Presidente da Federação dos Bombeiros do Distrito de Viseu e de Jaime Marta Soares, presidente do Conselho Executivo da Liga dos Bombeiros Portugueses. Nos dois casos foram dadas vivas aos bombeiros e reconhecida a “resistência, persistência e resiliência” do Corpo de bombeiros de Carregal do Sal, palavras de Rebelo Marinho, perante os acontecimentos de agosto de 2013. Jaime Marta Soares, no jeito eloquente que lhe é conhecido, referiu-se à total disponibilidade dos bombeiros para acorrerem perante o toque da sirene para questionar o Ministro da Administração Interna sobre a Lei de Financiamento dos Bombeiros, que aguardam há já muito tempo. Ao referir a qualidade dos homens e mulheres que servem a causa “bombeiros” referiu-se a Rogério Mota Abrantes, presidente da edilidade carregalense, para sublinhar a dedicação pessoal do cidadão que, antes de ser Presidente da Câmara, também foi bombeiro e pertenceu aos órgãos sociais da Associação Humanitária, distinguindo-o com a imposição do Crachá de Ouro da Liga.
Momento alto na Sessão Solene foi também a assinatura de dois protocolos celebrados entre a Câmara Municipal e a Associação Humanitária – o primeiro relativo à comparticipação do Município em 15% no valor elegível das obras de ampliação do quartel; o segundo referente à oficialização da cedência e devolução do antigo quartel, cuja chave foi simbolicamente entregue ao Presidente da Direção.

Rogério Abrantes usou então a palavra. Dirigindo-se ao representante do Governo, sublinhou o “vivo apreço e agradecimento pela visita e associação a esta efeméride” reforçando o prazer do Município em se associar também às comemorações afirmando “A Câmara Municipal e o Concelho de Carregal do Sal orgulham-se e reconhecem o mérito dos seus Bombeiros e manifestam a sua elevada gratidão pelo esforço, dedicação e trabalho humanitário desenvolvido ao longo dos anos.” Reconheceu a dedicação, o esforço e o empenhamento de todos – corpo ativo, comando e órgãos sociais e reconheceu as dificuldades e os constrangimentos com que se deparam agradecendo à comunidade e aos que “aquém e além-fronteiras, (que cumprimento nas pessoas de Jorge Abreu, Vítor Castanheira, José Santos, Flávio Correia e Fernando Albuquerque) e ao Banco Big, que felicitou na pessoa do Presidente da Comissão Executiva, Carlos Rodrigues. Por isso sublinhou que “a Câmara Municipal tem procurado reforçar o apoio às suas Associações Humanitárias”, sendo os protocolos firmados nessa Sessão, de que destacou “a devolução, ao seu legítimo proprietário, da antiga Sede e Quartel da Associação Humanitária”, uma prova desse contributo. Nessa linha de pensamento e depois de sublinhar a honra e a dignificação das comemorações com a presença de Miguel Macedo, o Presidente da Edilidade solicitou “os seus bons ofícios no sentido da concretização legislativa de uma Lei que permita o financiamento direto das Associações Humanitárias” e sugeriu uma mudança sobre a tipologia dos seguros, “permitindo que estes passassem de seguro de acidentes pessoais, para um seguro de caraterísticas especiais, similar ao seguro de acidentes de trabalho, face à especificidade e risco a que os Bombeiros estão expostos.”

A Câmara procedeu depois à entrega de lembranças a várias entidades, entre as quais, aos Bombeiros Voluntários (uma salva de prata) personalizada e o brasão do Município, em madeira ao Ministro da Administração interna tendo também a Associação Humanitária ofertado uma lembrança a Miguel Macedo. O Ministro da Administração Interna usou então a palavra para se referir à Lei de Financiamento, afirmando que o Governo não fará uma lei que não pode pagar; aos seguros dos bombeiros assumindo que o Governo já procedeu a grandes alterações a esse nível designadamente nos valores das indemnizações, e o transporte de doentes para o qual já há proposta que foi enviada à Liga dos Bombeiros Portugueses para revisão. No seu discurso, Miguel Macedo relembrou Cátia e Bernardo, bombeiros de Carregal de Sal que perderam a vida no ano passado no Caramulo: “é ainda uma dor bem presente” na cara de todos os homens e mulheres do corpo de Bombeiros”. Reiterando a coragem e determinação dos bombeiros e órgãos sociais, desejou-lhes as maiores felicidades e foi então encerrada a sessão comemorativa.
 
 
Fonte: Local.pt