27 setembro 2014

Chuva e granizo causam 30 inundações e obrigam a fecho de supermercado em Évora

Em várias rotundas e artérias da cidade, a chuva forte formou lençóis de água, obrigando a desvios do trânsito

Cerca de 30 inundações em casas e vias públicas e a queda de um teto falso, que obrigou ao encerramento de um supermercado, foram as consequências da forte chuvada hoje na cidade de Évora, segundo os bombeiros.

Segundo a mesma fonte, caiu parte do teto falso de um supermercado, sem causar danos pessoais, mas causando uma inundação que levou os responsáveis a encerrar o estabelecimento ao público.

A chuva intensa, acompanhada da queda de granizo, que deixou muitas ruas cobertas de branco, fustigou a zona de Évora, sensivelmente, entre as 13:00 e as 13:30.

Em várias rotundas e artérias da cidade, a chuva forte formou lençóis de água, obrigando a desvios do trânsito.

A fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Évora explicou à agência Lusa que as inundações estão ser solucionadas pelos bombeiros.

Ainda no Alentejo, foram também registadas inundações em Arraiolos e Sousel.

O responsável dos serviços municipais de Proteção Civil de Évora, Joaquim Piteira, adiantou à agência Lusa que o temporal causou prejuízos materiais em habitações e em estabelecimentos comerciais, mas sem registo de desalojados ou de quaisquer danos pessoais.

Segundo Joaquim Piteira, algumas das inundações, que ocorreram sobretudo nos bairros da Malagueira, António Sérgio, Corunheiras, Bacelo e Torregela, deveram-se ao facto de o granizo ter entupido os sistemas de escoamento.

Além do estabelecimento comercial, obrigado a fechar portas após a queda de parte do teto falso, a chuva intensa provocou também uma inundação num outro supermercado da cidade, causando igualmente prejuízos materiais, relatou a fonte do CDOS.

Quanto ao trânsito, segundo fonte policial, várias artérias da cidade estiveram temporariamente intransitáveis.

Devido ao elevado número de ocorrências, os bombeiros de Évora foram auxiliados pelos seus congéneres de Montemor-o-Novo e Redondo.

As operações mobilizaram 91 operacionais e 38 viaturas, entre bombeiros e elementos da PSP e GNR, além da Proteção Civil municipal de Évora.

Fonte: Jornal i