19 agosto 2014

Bombeiros de Celorico de Basto receberam nova ambulância de socorro

Os Bombeiros Voluntários Celoricenses procederam, na passada sexta-feira, à bênção de uma ambulância destinada ao transporte de doentes urgentes.

A cerimónia constituiu o ponto alto das comemorações dos 88 anos da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários Celoricenses (BVC) e não dos Bombeiros Voluntários Cabeceirenses, como por lapso foi indicado na edição de ontem.

A nova viatura, da marca Mercedes, constitui uma mais valia para a corporação, que assim fica melhor preparada para responder às situações de emergência. “É uma ambulância de socorro que tem todo o equipamento igual aos das ambulâncias do INEM (Instituto Nacional de Emergência Médica). É uma mais valia para a corporação e para o concelho, já que permite responder a qualquer situação de emergência”, disse ao ‘Correio do Minho’ o comandante dos BVC, Marinho Gomes.

A nova viatura representou para a Associação Humanitária um investimento da ordem dos 60 mil euros. “Foi totalmente paga pelos cofres da corporação. Não houve qualquer comparticipação do Estado”, disse Marinho Gomes.

O mesmo responsável acrescentou que a viatura vai juntar-se “ás outras quatro que ainda estão ao serviço, mas que apresentam já algum desgaste.

”O presidente da Associação Humanitária, Fernando Freitas, aproveitou a ocasião e a presença do edil celoricense, Joaquim Mota e Silva, para solicitar o empenho da autarquia na constituição de pelo menos uma Equipa de Intervenção Permanente (EIP).

Trata-se de uma equipa formada por cinco elementos e que se encontram em permanência no quartel. “O pedido foi feito ao presidente da Câmara Municipal de Celorico de Basto porque essa equipa é paga metade pela autarquia e metade pela Autoridade Nacional de Protecção Civil”, explicou o comandante dos BVC.

Marinho Gomes vê com bons olhos a criação da EIP e revelou que “temos esperança que ente em funcionamento em Janeiro do próximo ano.

”O presidente da Câmara de Celorico de Basto prometeu tudo fazer para responder aos anseios da corporação.

O momento festivo incluiu, ainda, o hastear das bandeiras, a formatura, uma missa solene na Capela de Nossa Senhora da Saúde e uma romagem ao cemitério para homenagear os bombeiros e dirigentes falecidos.

Recorde-se que em 22 de Dezembro do ano passado foram inauguradas as obras de ampliação do quartel.


fonte: Correio do Minho