30 julho 2014

Médicos Sem Fronteiras avisam que ébola está fora de controlo

A organização Médicos Sem Fronteiras alertou para o facto de a epidemia do vírus da ébola estar fora de controlo na África Ocidental, numa altura em que já foram registados cerca de 1.200 casos, que provocaram mais de 600 mortos.

Em entrevista ao jornal Libre Belgique, o director de operações da Médicos Sem Fronteiras, Bart Janssens, avisou que a epidemia da ébola na zona oeste de África está a agravar-se, existindo o risco de se espalhar a mais países.

«Esta é uma epidemia sem precedentes, que não está de todo controlada e a situação não pára de se agravar, estendendo-se agora à Libéria e à Serra Leoa, com focos muito importantes», afirmou o responsável. 

Na entrevista, publicada esta quarta-feira, 30 de Julho, no jornal belga, Bart Janssens referiu que a organização internacional está «muito preocupada com os contornos que a situação assume», em particular na Serra Leoa e Libéria. 

O director de operações da Médicos Sem Fronteiras pediu esforços dos governos e da Organização Mundial de Saúde (OMS) para combater o surto. 

«Cabe à Organização Mundial de Saúde e aos governos destacar e organizar os meios necessários para desenvolver esforços e capacidade ao nível requerido para começar a controlar esta epidemia», declarou Janssens. 

Dados da OMS indicam que o surto da ébola já provocou mais de 670 mortos na África Ocidental. Surgiu no início do ano na Guiné Conacri, tendo depois se alastrado à Libéria e Serra Leoa. 

O vírus transmite-se através do contacto com sangue, fluidos e tecidos corporais de pessoas ou animais infectados, sendo altamente contagioso.

Trata-se do surto mais mortífero de sempre da epidemia da ébola na África Ocidental.

(c) PNN Portuguese News Network