26 julho 2014

MAI autoriza ajuste direto a ex-patrão de chefe de gabinete

O contrato tem como objetivo uma avaliação da gestão da Empresa de Meios Aéreos (EMA), na tutela do ministério da Administração Interna (MAI), que está em processo de liquidação e acabou de ser alvo de uma auditoria do Tribunal de Contas.

O ajuste direto, de cerca de 26 mil euros, foi feito com a Delloite, consultora de onde veio Pedro Brás da Silva, chefe de gabinete do Secretário de Estado Adjunto do Ministro da Administração Interna, como o pelouro das contratações do MAI.

O principal motivo da decisão do Governo, já em 2011, para extinguir a EMA foram os elevados prejuízos da empresa.

Fonte: DN