17 julho 2014

Furacão nas Filipinas faz pelo menos 40 mortos



O conselho de gestão e redução do risco de desastres das Filipinas elevou, esta quinta-feira,para quatro dezenas o número de mortos devido ao tufão Rammasun, que atingiu o norte do arquipélago.

Existem quatro desaparecidos e a tempestade provocou ainda 17 feridos e afetou mais 800 mil pessoas, sendo que 525 mil delas deslocaram-se para os 1200 centros de evacuação existentes, indicou o conselho no seu mais recente comunicado.

Ainda 26 mil habitações foram total ou parcialmente danificadas e 23 estradas e duas pontes na zona afetada continuam cortadas.

O ministério da energia informou que a rede elétrica de Manila, na ilha mais a norte do arquipélago, foi restaurada em 84% após cerca de 5 milhões de habitações terem ficado sem eletricidade dia 16 devido a danos à infraestrutura de distribuição.

O furacão afetou 12 províncias no norte do pais, sendo que quatro delas ainda estão sobre estado de calamidade, permitindo ao governo controlar os preços das necessidades básicas e conceder empréstimos a interesse zero, entre outras medidas.

O "Rammasun" atingiu as Filipinas quando esta ainda não se tinha recuperado dos danos causados pelo tufão Hayian, que em novembro de 2013 havia provocado 6300 mortos e perto de 28.700 feridos além de mais de 1000 desaparecidos

O furacão, que chegou às Filipinas com 500 quilómetros de diâmetro, saiu do arquipélago perto das 8 horas (hora de Portugal Continental) de dia 16 e dirige-se agora para o Vietname, a norte das Filipinas, onde se espera que chegue sábado.

A temporada de tufões nas Filipinas, que normalmente começa em junho e acaba em novembro, atrai entre 15 e 20 tempestades todos os anos.

Fonte: JN