23 junho 2014

Polícia Marítima recolhe munições junto à ribeira do Jamor

O comandante do Porto de Lisboa, Cruz Gomes, esclareceu que a recolha de munições hoje de manhã na ribeira do Jamor ocorreu na zona de Algés e não junto à Ponte Vasco da Gama, em Lisboa, como inicialmente indicara.

Segundo o comandante Cruz Gomes, a recolha de munições "de vários calibres", entre as quais de G3 e de caçadeira, "ocorreu à saída da ribeira, na zona de Algés".

Este responsável informou que a Polícia Marítima recebeu às 17h40 de domingo uma informação via telemóvel a dar conta de que tinham sido detectadas munições na zona da ribeira do Jamor.

"Mandámos pessoal para o local, confirmou-se que estavam lá as munições, mas a maré começou a subir e não tivemos condições para operar. Já hoje de manhã enviámos mergulhadores forenses da Polícia Marítima para o local, que recolheram algumas munições de G3 e cartuchos de caçadeiras", contou.

O comandante da Capitania do Porto de Lisboa explicou que as operações de recolha das munições tiveram de ser novamente suspensas devido à subida da maré e má visibilidade.

"Assim que a maré o permitir voltaremos a operar para fazer a recolha das restantes munições, que estão mais ou menos concentradas no mesmo sítio", disse, salientando que as munições estão "à solta e não em sacos".

Até ao momento foram já recolhidos cerca de dois quilogramas de munições.

O comandante Cruz Gomes adiantou ainda que a Polícia Marítima está a investigar o caso e a fazer buscas na zona para ver se existem mais munições.

"Aquela zona está vedada e já emitimos um aviso aos navegadores para não se aproximarem. Temos também uma lancha da Polícia Marítima a patrulhar a zona", disse.

Lusa/SOL