06 maio 2014

Morreu um dos mergulhadores que participam nas buscas do ferry sul-coreano

Morreu esta terça-feira um mergulhador que participava nas buscas do ferrysul-coreano que naufragou no mês passado. As autoridades afirmam que o homem de 53 anos — conhecido apenas pelo sobrenome Lee — ficou inconsciente dentro de água e acabou por morrer mais tarde no hospital.

O mergulhador perdeu o contacto via rádio durante cinco minutos após ter efectuado um mergulho com o objectivo de fixar as cordas de orientação no quinto convés do barco afundado, de acordo com Ko Myung-seok, porta-voz do governo da Coreia do Sul.

Lee terá perdido de imediato a consciência após o mergulho de uma profundidade de 25 metros. Os seus companheiros ainda conseguiram puxá-lo para a superfície, mas os seus esforços foram em vão. Era a primeira vez que Lee, que trabalhava para as Indústrias Marítimas Undine, especializada em obras de engenharia e salvamento marítimo, participava nestas buscas de resgate, referiram as autoridades.

Após a trágica morte de Lee, o primeiro-ministro Jung Hong-won ordenou aos funcionários do governo que supervisionam a operação de resgate para verificarem minuciosamente as condições de segurança e saúde dos mergulhadores.

Dezenas de mergulhadores têm lutado contra o mau tempo e correntes rápidas a fim de recuperar os 39 corpos que ainda se encontram desaparecidos, provavelmente ainda dentro do barco, mais precisamente dentro dos quartos e dos corredores, referem os últimos relatórios.

Entre os passageiros do ferry que naufragou no dia 16 de Abril estavam 339 crianças e professores que participavam numa viagem escolar para o sul da ilha de Jeju. Apenas 174 pessoas foram resgatadas. O número de mortos confirmados é de 263.

As causas do terrível desastre ainda estão por apurar, mas tudo aponta para a irresponsabilidade e para a negligência dos membros da tripulação (15 membros da tripulação estão presos incluindo o comandante do navio). A crescente indignação por parte do povo sul-coreano tem sido notória, e quer o primeiro-ministro (demissionário após o acidente), a Presidente Park Geun-hye e os membros do governo são constantemente vaiados quando comparecem em eventos públicos.

"As regras e as normas de segurança não foram seguidas devido a actos irresponsáveis ??e as consequências dessas acções resultaram em mortes ", disse a Presidente esta terça-feira numa visita a um templo em Seul, voltando a garantir que os responsáveis pelo naufrágio do ferry serão criminalmente responsabilizados.

Fonte: Público