12 maio 2014

INCÊNDIOS: Fogo controlado testado amanhã em Santo Tirso

O Departamento de Geografia da Universidade do Minho, em parceria com a câmara de Santo Tirso, realiza amanhã um fogo controlado que visa estudar os seus efeitos no solo e prevenir incêndios florestais.

Segundo a nota emitida pela Universidade do Minho, "a ação decorre entre as 09.30 e as 12.00 no eucaliptal da Samoça, em Reguenga, arredores de Santo Tirso". "A segurança presente inclui os Bombeiros de Santo Tirso, os Sapadores Florestais e a Proteção Civil Municipal", estando este teste inserido no projeto SoilProtec, do Centro de Estudos de Geografia e Ordenamento do Território (CEGOT).

"É um dos primeiros estudos em Portugal, e talvez no mundo, com três técnicas de fogo controlado: o típico 'fogo de cima para baixo', que é lento, a baixa temperatura, aparentemente de menor impacto no solo; o 'fogo de baixo para cima', de elevada intensidade, rápida progressão e muito quente; e o 'fogo lateral', do qual quase não há estudos das consequências ao nível do solo", explicam António Bento Gonçalves e António Vieira, professores do Departamento de Geografia da UMinho.

De acordo com a nota de imprensa, o objetivo deste teste é avaliar o efeito do fogo nos solos, não só em termos de intensidade como também em termos de tempo de permanência.

Os investigadores adiantam ainda que a primeira fase do SoilProtec decorreu no Parque Nacional da Peneda-Gerês e testou medidas de emergência, de baixo custo, para proteger os solos logo após os incêndios de baixa/média severidade. "Concluiu-se que o uso de barreiras de troncos, de fardos de palha e, em particular, da caruma (agulhas dos pinheiros queimados) contribuem para defender o solo da erosão e a reduzir escorrências de sedimentos para linhas de água", refere a nota.


fonte: Helder Robalo / DN