20 maio 2014

Fome lidera queixas nas Urgências de Aveiro



Envolta em polémica pela demora no atendimento, a Urgência do Hospital de Aveiro vista por dentro revela outros problemas da sociedade: recurso indevido ao serviço e doentes preocupados em comer.

Mais do que as horas de espera, é a fome que lidera as queixas apresentadas por doentes e seus familiares, quando acorrem à Urgência do Hospital de Aveiro.

A revelação é feita por Elsa Vasconcelos, diretora do serviço, numa visita em que abriu as portas ao JN durante um dia. "A maior parte das reclamações é que passam demasiado tempo sem comer. Às vezes estão a fazer soro e nem podem ingerir alimentos, mas reclamam e dizem que têm fome. Já tivemos um caso de um sem-abrigo que veio muitas vezes comer, dormir numa maca e tomar banho", diz.

A sopa, fruta e pão que servem não acalmam todos e revelam uma sociedade no limite e que procura a Urgência para bem mais que casos extremos, sobrecarregando um serviço que, "se fosse bem usado e houvesse vazão dos doentes para internamento, funcionaria bem".

Fonte: JN