17 maio 2014

Covilhã Quer EIP

Bombeiros Voluntários da Covilhã podem ter uma equipa de intervenção permanente. 

O pedido vai ser formalizado pela câmara municipal ao ministério da administração interna e a autarquia assume a comparticipação de 50 por cento do funcionamento desta equipa, numa verba a rondar os 2500 euros por mês.

No final da última reunião privada do executivo, Vítor Pereira assumiu que a criação desta valência é um objectivo fundamental para dar resposta às ocorrências que se verificam no concelho “estas equipas são fundamentais em vários domínios como o ataque imediato aos fogos florestais ou na resposta a sinistros ou outro tipo de ocorrências em que pode estar em causa a segurança das pessoas; é uma equipa profissionalizada cujo funcionamento é assegurado por uma comparticipação de 50 por cento do estado e outro tanto da câmara e que, no nosso caso, ronda os 2500 euros por mês e eu irei propor ao ministério da administração interna, tão breve quanto possível, a criação desta EIP”. 

O tema levanta, no entanto, algumas reservas ao vereador do PSD. Joaquim Matias refere que “são muitas poucas as equipas que podem ser atribuídas pelo governo e eu já ando a batalhar pela sua criação no concelho da Covilhã desde que o actual executivo tomou posse mas até hoje ainda não há nenhuma decisão por parte da câmara nesse sentido; de todos os concelhos do distrito apenas a Covilhã e o Fundão não tem uma equipa de intervenção permanente mas no caso do Fundão o processo já foi formalizado e nós não temos o que quer significar que podemos vir a ser prejudicados pelo adiamento desta decisão”.


fonte: RCB