09 maio 2014

Amares: MAI Preside à Cerimónia de Entrega de Novos Rádios SIRESP aos Corpos de Bombeiros

Realiza-se no próximo domingo, dia 11 de maio, pelas 11 horas, na Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários de Amares, distrito de Braga, a cerimónia de entrega de novos equipamentos portáteis para operação na Rede SIRESP - Sistema Integrado de Redes de Emergência e Segurança de Portugal, aos Corpos de Bombeiros do Agrupamento Norte, abrangendo os distritos de Braga, Bragança, Porto, Viana do Castelo e Vila Real.

Na cerimónia, que será presidida pelo Ministro da Administração Interna, Miguel Macedo, e que contará com a participação do Secretário de Estado da Administração Interna, João Almeida, estarão presentes os representantes dos 137 Corpos de Bombeiros, Voluntários e Municipais, dos cinco distritos envolvidos.

Será efetuada a entrega de 726 rádios, tendo sido já distribuídos 636 às Associações do Agrupamento Centro Norte (Aveiro, Coimbra, Guarda e Viseu) , seguindo-se, nas próximas sessões, a entrega de mais 1238 pelos Corpos de Bombeiros dos restantes Agrupamentos. 

Com a entrega destes novos rádios SIRESP, teremos disponíveis para operação, pela Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) e pelos Corpos de Bombeiros, nomeadamente no contexto do Dispositivo Especial de Combate aos Incêndios Florestais do corrente ano, um total nacional de 6244 equipamentos.

O Sistema Integrado de Redes de Emergência e Segurança de Portugal - SIRESP, visa dotar as forças e serviços de segurança, emergência, proteção civil e socorro, de uma rede única de comunicações, a nível nacional.

A existência desta rede nacional permite, ainda, satisfazer, de forma eficiente, os requisitos operacionais daquelas forças e serviços, garantindo a qualidade, a fiabilidade e a segurança das comunicações, bem como a racionalidade dos meios e recursos existentes.

Suportado no standard TETRA, acrónimo para Terrestrial Trunked Radio, o SIRESP permite, através da definição de grupos de segurança, que cada entidade utilize o sistema como se trata-se de uma rede privativa, mas também, em caso de necessidade de coordenação, que todos os grupos que concorram para a resolução de uma determinada situação de emergência, sejam facilmente colocados em conversação, de acordo com regras pré-definidas ou a serem estabelecidas em cenários específicos.

Os Corpos de Bombeiros, enquanto primeiro pilar na condução das ações de proteção e socorro, partilham com a ANPC toda a configuração SIRESP, estando integrados no mesmo Grupo de Segurança e utilizando os mesmos grupos de conversação. Garante-se, desta forma, uma permanente unidade de comando, controlo e de comunicações.

A exploração da rede pela ANPC e pelos Corpos Bombeiros, iniciada em 2007, num projeto-piloto envolvendo os Corpos de Bombeiros do Distrito de Santarém, tem hoje uma expressão absolutamente nacional.