25 abril 2014

Simulação de incêndio testa plano de emergência interno do IPO-Porto

Dois feridos graves, um deles com paragem cardiorrespiratória, e dois profissionais bloqueados pelo fumo, um com alterações comportamentais, é o resultado de um curto-circuito num aparelho eléctrico. Este é o cenário que serve de mote a um simulacro de incêndio que vai decorrer no IPO-Porto na próxima terça-feira, 29 de Abril, pelas 15:30, no Serviço de Medicina Nuclear, Edifício H.

Este é o 11º exercício de simulação a envolver agentes da Protecção Civil e visa testar o Plano de Emergência Interno (PEI) e o Plano Específico do Serviço (PES).

Os edifícios do IPO-Porto, pelas suas especificidades, estão sujeitos a diversas situações de acidentes graves provocados por deficiências ou falhas dos equipamentos, negligência humana, acções criminosas ou catástrofes naturais que podem resultar em incêndios. Nesse sentido e para promover a segurança interna dos colaboradores e utentes, o IPO-Porto tem desenvolvido todos os anos exercícios de simulação de incêndios em vários locais do perímetro do Instituto.

Assim, o sobreaquecimento do aparelho eléctrico, que vai ser a fonte causadora do incêndio, vai permitir ao IPO-Porto, em conjunto com o Batalhão de Sapadores Bombeiros do Porto, PSP e INEM, avaliar a coordenação de todos os intervenientes internos e externos, testar a operacionalidade dos planos de emergência, utilizar os equipamentos de primeira intervenção (extintores e bocas de incêndio) e operacionalizar os Centros de Informação e Comunicação e de Apoio Psicossocial.

Fonte: Diário Digital