06 abril 2014

Prosseguem operações de resgate no sudoeste da China após sismo que fez 26 feridos

As operações de salvamento na província de Yunnan, no sudoeste da China, prosseguem hoje depois de um sismo de magnitude 5,3 ter abalado a zona provocando 26 feridos.

Mais de 1.600 membros das equipas de salvamento e resgate procuram por eventuais vítimas presas sob os escombros e na ajuda à reparação das estradas.

Fonte oficial da localidade de Yongshan, epicentro do terramoto ocorrido no sábado, disse à agência Xinhua, ser estável a condição de saúde das cinco pessoas que ficaram feridas com gravidade.

O sismo, localizado a 13 quilómetros de profundidade, afetou 68.600 residentes, dos quais 21 mil tiveram de ser realojados.

O governo provincial decidiu canalizar três milhões de yuan (352,6 mil euros) e mais tendas e equipamentos básicos para a zona afetada pelo sismo, segundo a mesma fonte, que falou sob a condição de anonimato, citada pela agência oficial chinesa.

O terramoto destruiu casas, suspendeu o serviço de transportes e de energia elétrica e danificou as comunicações.

Quarenta e oito escolas, espalhadas por seis localidades, sofreram danos.

Dado que os estudantes gozavam três dias de descanso, uma vez que, este sábado, se assinalou o feriado de Ching Ming (Culto dos antepassados) não foram registados feridos nas escolas na sequência do abalo, indicaram as autoridades locais.

O fornecimento de eletricidade e os serviços de transporte e comunicações já voltaram à normalidade na zona afetada pelo sismo.

Fonte: RTP