15 abril 2014

Cruz Vermelha de Águeda pode ter que despedir pessoal



A probabilidade foi avançada pelo presidente no 37.º aniversário da instituição. A possibilidade de encerramento não está excluída


Foi com tristeza e preocupação que César Marques, presidente da Direcção da Cruz Vermelha de Águeda, abordou o presente e o futuro da instituição, que vive “momentos difíceis”. O dirigente, que falava no âmbito da celebração do 37.º aniversário da Cruz Vermelha de Águeda, coloca a hipótese de ter que dispensar pessoal ou encerrar portas. Tudo isto na sequência da adjudicação a uma empresa particular dos serviços de transporte de doentes do Centro Hospitalar do Baixo Vouga (CHBV).

Fonte: Diário de Aveiro