05 abril 2014

Caminha: Câmara Concede Apoio Mensal às Associações de Bombeiros

As Associações de Bombeiros do Concelho vão passar a receber um apoio mensal. 

O executivo caminhense aprovou, ontem, por unanimidade, a minuta de protocolo de colaboração entre a Câmara Municipal de Caminha e as Associações Humanitárias de Bombeiros Voluntários do Concelho de Caminha, que estabelece o apoio a conceder pelo Município para a manutenção da atividade, para a comparticipação de serviços prestados e para formação e promoção de elementos dos Corpos de Bombeiros. 

Anualmente, a Câmara vai atribuir às duas Corporações de Bombeiros a quantia fixa de 24 mil euros, isto é 12 mil euros para cada uma, a que se acrescem os subsídios e outros apoios.

As Associações Humanitárias dos Bombeiros, através dos seus Corpos de Bombeiros, para além das suas atribuições de proteção de pessoas e bens, dão um precioso apoio em diversas atividades e muitas vezes suportam todos os encargos sem qualquer compensação; constituem a principal força de atuação no terreno na área da Proteção Civil, prestando um serviço público importantíssimo e um valioso contributo para a promoção da segurança e saúde da população.

Também o executivo reconhece que as Associações de Bombeiros do concelho desempenham um papel importante na sociedade e no serviço público que prestam junto das populações. Este serviço público passa pelas atividades de Proteção Civil, transporte de doentes, fanfarras, sessões de mergulhos, sessões culturais e desportivas entre outras. 

Mediante o protocolo aprovado, as corporações de bombeiros vão passar a receber um incentivo mensal, no montante de mil euros, para manutenção das atividades dos respetivos Corpos de Bombeiros, nomeadamente na prestação do serviço à população e na Proteção Civil. 

É de realçar que esta proposta foi alterada a pedido da maioria. De facto, o protocolo inicial previa a atribuição de um incentivo periódico a conceder trimestralmente no montante de mil euros e não mensalmente como foi aprovado.

Conforme explicou Guilherme Lagido, o executivo depois de reunir diversas vezes com as corporações de bombeiros, chegou à conclusão de que os bombeiros do concelho tem dificuldades efetivas de gestão corrente e que se deve, entre outros fatores, ao reduzido envolvimento da coletividade na gestão corrente das associações e à falta de apoio do Município na gestão corrente das associações. Assim, com o intuito de apoiar a gestão corrente, este executivo decidiu alterar a proposta e em vez de conceder um apoio trimestral passar a atribuir um apoio mensal. “Esta foi a forma transparente de ajudar a gestão corrente dos bombeiros. Gostaríamos muito que a Câmara Municipal pudesse aprovar este protocolo de colaboração com os bombeiros”, realçou o vice-presidente. 

Para além da mensalidade, o documento também estipula a comparticipação por serviços prestados, reforçando o princípio prestador-pagador. A partir de agora, mediante uma tabela de preços, os serviços de prevenção em eventos de natureza cultural; a prevenção em provas desportivas em recintos; a prevenção em provas desportivas em vias ou percursos pedestres; a intervenção em meio aquático; o abastecimento de água ou rega; os exercícios e simulacros, entre outros, serão comparticipados.

O Município vai ainda apoiar o voluntariado, a formação e a promoção de elementos dos Corpos de Bombeiros.


fonte: Correio do Minho