05 abril 2014

B.V.Aveiro-Novos: “Acordo com a Câmara tem a Máxima Importância Porque Estamos Quase em Falência”

Uma ajuda decisiva em momento importante para a manutenção da atividade da corporação. É desta forma que o presidente da Associação Humanitária dos Bombeiros Novos de Aveiro se refere aos apoios aprovados pela Câmara de Aveiro às duas corporações da cidade.

São 325 mil euros a distribuir pelas duas. Os bombeiros novos recebem 175 mil euros, mais 25 mil devido à sua ação na secção de S. Jacinto. Para os Bombeiros Velhos vão 150 mil euros. 

Albuquerque Pinto, presidente dos Bombeiros Novos, explica que do cumprimentos desta acordos depende a manutenção da atividade.

“Tem a máxima importância porque estamos quase em falência. Temos um passivo muito grande que decorreu de um acidente grave com a grua. Só esse acidente deu 120 mil euros de prejuízo. Tivemos outro e há dois anos menos dispendioso e adquirimos uma viatura em que a Câmara deveria comparticipar com 125 mil euros e, na verdade, não comparticipou”. 

Com a assinatura destes Protocolos entrará em funcionamento uma nova metodologia de gestão dos Serviços Municipais de Proteção Civil, em que a gestão da operação assentará nos Corpos de Bombeiros, num processo novo de cooperação institucional entre a autarquia, os Bombeiros Velhos e os Bombeiros Novos. 

O responsável pela corporação referiu-se também aos apoios garantidos pela Comunidade Intermunicipal da Região de Aveiro que assinou contratos de cedência de material com 13 Corporações de Bombeiros existentes nesta área. Albuquerque Pinto fala em material de protecção pessoal para os operacionais. Diz que a preocupação, agora, é a renovação do parque de ambulâncias. 

“É importante. São sempre ajudas para proteção individual. Nos Bombeiros Novos a frota é jovem e é boa no socorro. Na saúde não é assim. As ambulâncias estão muito cansadas. Não sei como vai ser”, disse o presidente a propósito da renovação da frota automóvel. 

O investimento base de 232 mil euros, financiado em 85% pelo Programa Operacional de Valorização do Território, visa dotar as Corporações de Bombeiros da Região de equipamento de proteção individual (botas, calças, dólmens, luvas, capacetes e cogulas).


fonte: Terra Nova