02 abril 2014

Aviões anfíbios de combate a incêndios regressam ao aeródromo de Proença-a-Nova

Foto: Google e ilustrativa
Rui Esteves explicou ainda que, para este ano, vai haver um reforço destes meios aéreos a nível nacional, que passam de quatro para seis aviões anfíbios bombardeiros médios. 

O Comandante do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Castelo Branco disse esta segunda-feira, em Oleiros, que dois aviões anfíbios de combate a incêndios vão ficar colocados no aeródromo de Proença-a-Nova. "São dois meios [aviões] que estão à ordem do Comando Nacional, ou seja, são meios nacionais que intervêm quando se justificar e que no ano passado estavam sediados em Ponte de Sor", referiu Rui Esteves. O Comandante do CDOS de Castelo Branco falava durante a apresentação do Plano Operacional Municipal (POM) da Defesa da Floresta Contra Incêndios (DFCI) de Oleiros, para 2014. Rui Esteves explicou ainda que, para este ano, vai haver um reforço destes meios aéreos a nível nacional, que passam de quatro para seis aviões anfíbios bombardeiros médios. Dois aviões anfíbios de combate a incêndios vão ficar estacionados no aeródromo municipal das Moitas (Proença-a-Nova), dois em Viseu e outros dois em Vila Real. O Comandante do CDOS de Castelo Branco referiu também que o distrito vai ter este ano um reforço de mais 15 operacionais. "No fundo, vai ao encontro daquilo que foi o planeamento que fizeram os 12 comandantes das corporações de bombeiros do distrito. Face ao planeamento e às necessidades, crescemos em mais 15 operacionais, o que quer dizer que o dispositivo distrital fica com cerca de 700 operacionais", disse Rui Esteves.

Fonte: CM