12 março 2014

Soldados da paz vão receber novo plano de formação

O novo Plano Estratégico de Formação dos Bombeiros 2014-2016 vai reforçar a aprendizagem e formação dos bombeiros. O objetivo é melhorar a ação dos soldados da paz.

Os bombeiros vão receber o plano Estratégico de Formação entre 2014 e 2016. Para além da formação dada pela Escola Nacional de Bombeiros às corporações e unidades locais, este plano procura definir para uma estratégia para que a classe compreenda a orgânica da escola nacional de bombeiros.

Para Jaime Marta Soares, presidente da Liga dos Bombeiros Portugueses (LBP), a elaboração deste documento não significa que os bombeiros não tivessem formação adequada até ao momento.

A evolução das exigências da sociedade levou ao planeamento deste documento que servirá, de acordo com Marta Soares, para a escola nacional poder receber apoios da comunidade europeia.

Em 2013, foram oito os bombeiros que não resistiram à força das chamas nos incêndios florestais. Os 150 mil hectares ardidos entre janeiro e outubro de 2013 fazem com que este plano estratégico seja, para o presidente da Liga de Bombeiros Portugueses, fundamental para dotar os corpos de bombeiros de ferramentas que apoiem a prestação de apoio às vítimas.

Corporações vão receber 12 milhões de euros para equipamento

Este plano irá ainda proporcionar equipamentos de proteção mais seguros e resistentes para a ação dos bombeiros. As corporações irão receber 12 milhões de euros para equipamento, sendo que metade desse valor vai ser aplicado para equipamento individual para bombeiros.

Para além da quantia monetária, estes irão receber cerca de 2600 rádios SIRESP (Sistema Integrado de Redes de Emergência e Segurança). Estes equipamentos vão permitir, de acordo com Jaime Marta Soares, que os bombeiros tenham maiores garantias de segurança e de comunicação.

Apesar da formação que vai ser prestada aos soldados da paz, o presidente da LBP considera que os bombeiros têm tido uma boa preparação técnica e psicológica para o exercício da função. Por isso, Marta Soares acredita que, com este plano estratégico, os bombeiros vão continuar a evoluir para poderem enfrentar as exigências da sua missão.


fonte: Luis Martins, Pedro Maia / JPN