11 março 2014

B. V. Alcanede: Novo Comandante Tomou Posse

Os Bombeiros Voluntários de Alcanede (B.V.A) assinalaram no domingo, 9 de março de 2014, o seu 19º Aniversário. A cerimónia, que decorreu no quartel da corporação, destacou-se pela tomada de posse do novo Comandante, pela promoção de novos bombeiros, condecorações e bênção de duas viaturas. As atividades foram presenciadas por muitos familiares e amigos dos soldados da paz e por várias entidades convidadas.

No dia em que tomou posse como Comandante dos B.V.A, Filipe Regueira, discursou perante uma plateia atenta e enalteceu a presença de todos, nomeadamente do Presidente da Câmara de Santarém, assegurando que Ricardo Gonçalves, “enquanto responsável máximo pela Proteção Civil Municipal”, tem em Alcanede um corpo de bombeiros “jovem mas com muita experiência e vontade para desempenhar as funções que julgar adequadas às nossas capacidades”, disse.

O novo Comandante considerou que o futuro lhe reserva “muito trabalho, do qual não tenho qualquer receio nem com o qual me sinto preocupado. Espera-me, sobretudo, uma grande responsabilidade”, transmitindo, ao mesmo tempo, uma mensagem de confiança a todos os membros da corporação, “a disciplina, as qualidades humanas, técnicas, humanitárias e sociais dos homens e mulheres que compõem o Corpo de Bombeiros de Alcanede são para mim um sinal claro que a minha missão será em muito, facilitada”, afirmou.

Dirigindo-se aos corpos sociais da Associação Humanitária dos B.V.A, Filipe Regueira, agradeceu a confiança depositada na sua escolha para o cargo, “entregarei a esta missão todo o meu esforço e dedicação”, salientando que as portas da “área operacional estarão sempre abertas e eu estarei sempre disponível” para inteirar a direção sobre os assuntos que pretendam ver esclarecidos.

No seu discurso, o Comandante enalteceu o trabalho desenvolvido pelos Bombeiros de Alcanede durante 2013, desde o transporte de doentes às horas operacionais em que estiveram envolvidos, bem como as operações de combate aos incêndios que deflagraram um pouco por todo o país e que contaram com a participação ativa dos B.V.A. Filipe Regueira, prometeu aos soldados da paz, “procurar as melhores soluções em equipamentos de protecção individual para que cada Bombeiro possa estar devidamente protegido no desempenho da sua missão”, lembrando que, “equipar convenientemente um bombeiro custa mais de 1500€”, disse.

Ao longo da sua intervenção, o responsável pelo Comando dos Voluntários de Alcanede, frisou que a sua equipa irá “zelar pela segurança das nossas populações”, nomeadamente de Alcanede e Gançaria, e que a missão, “deverá ser de responsabilidade partilhada entre todos”, não sendo possível “falar de bombeiros de forma isolada”.

Confiante num desempenho “capaz e profissional das missões que nos forem confiadas”, Filipe Regueira ressalvou que os Bombeiros de Alcanede aplicarão a fórmula “profissionais na acção e voluntários por opção” e, dirigindo-se ao Comandante Operacional Distrital de Santarém, confirmou que, “estamos cá para responder presente sempre que solicitados”, afirmou.

Os Comandantes José Vitorino, Luís Pimentel e Paulo Cardoso também foram lembrados por Filipe Regueira, pelos ensinamentos ministrados ao longo do seu percurso, assim como “todos os homens e mulheres que participaram na construção e manutenção desta Instituição”, além dos familiares dos Bombeiros de Alcanede, “obrigado pela compreensão e pela ajuda (…) são também os primeiros a entender que só somos completos com o desempenho desta missão”.

Os anteriores Comandantes, 2º Comandantes e Adjuntos, também não foram esquecidos, “certamente aplicaram o melhor que sabiam e podiam dadas as circunstâncias particulares do momento em que exerceram o vosso Comando”, disse.

A finalizar, e de forma emocionada, o novo responsável pelo comando dos B.V.A dirigiu as suas palavras para o seu núcleo familiar mais próximo, os “pilares da minha existência”, afirmando que a melhor forma de lhes agradecer, “é garantir que, no que de mim depender, terão em Alcanede um Comandante tão empenhado no serviço publico, tão solidário e tão voluntariamente profissional como o que elas merecem pelo apoio e amor que me dispensam”, desabafou Filipe Regueira.

Por motivos de doença, António Batista, Presidente da Associação Humanitária dos B.V.A não teve oportunidade de marcar presença nas cerimónias do 19º Aniversário da corporação, cabendo ao Vice-Presidente o discurso em nome da instituição. Fernando Azinheira começou por saudar a presença das entidades oficiais e “de todos os bombeiros e seus familiares, porque sem eles não era possível estarmos a comemorar este aniversário”, disse.

O agradecimento estendeu-se a todos aqueles que, de uma maneira ou de outra, “têm ajudado os Bombeiros de Alcanede a atingir os seus fins”, salientando que 2013 “foi um ano difícil para nós”, dado o número de ocorrências a que a corporação foi chamada a intervir, mas certo de que as missões “foram bem cumpridas” e que a nova etapa, que agora se inicia “com os novos elementos e com o novo comando”, dará continuidade a um bom trabalho.

Fernando Azinheira lembrou ainda que estava prevista a realização de um leilão de blocos de pedra, oferecidos por industriais do setor do mármore, por iniciativa do Presidente da A.H.B.V.A, mas que, dada a ausência forçada de António Batista e de alguns empresários que se encontram fora do país, o leilão a favor dos bombeiros de Alcanede será efetuado em nova data, a anunciar brevemente.

Presente neste aniversário, esteve também o Comandante Vítor Bertelo, em dupla representação, pela Liga dos Bombeiros Portugueses e pela Federação de Bombeiros do Distrito de Santarém, que garantiu “que a Liga está convosco na procura da melhoria das condições de trabalho, no esforço e prestigio da vossa missão, que é única”, afirmou.

Vítor Bertelo agradeceu “a prontidão, o empenho e dedicação deste corpo de bombeiros, que apesar de fazer hoje uma idade bem jovem, já provou que é eficaz, como de resto é apanágio das nossas associações e corpos de bombeiros do distrito de Santarém”, disse.

Para este responsável, os tempos difíceis que vivemos “exigem dos corpos diretivos das associações a procura de estratégias, mais recursos humanos e materiais”, sendo imprescindíveis os trabalhos de parceria, “entre autarquias, como primeiros responsáveis pela proteção civil, e as direções dos corpos de bombeiros no socorro e apoio às populações”. Para Vítor Bertelo, “numa época de dificuldades, como a que vivemos, é com diálogo e ações concretas que se alcançam os objetivos mais nobres em prol do bem comum”, frisou.

O representante da Liga dos Bombeiros Portugueses e da Federação dos Bombeiros do Distrito de Santarém, terminou a sua intervenção dizendo que “o Mundo está repleto de pessoas que trabalham um dia e se acham bons, pessoas que lutam um ano e se acham melhores, dos que lutam muitos anos e se acham muito bons”, mas que, porém, “existem os que lutam toda a vida, não têm nome e são muitos, e esses são bombeiros”, disse Vítor Bertelo.

Nesta cerimónia do 19º Aniversário dos Bombeiros Voluntários de Alcanede, o Comando Distrital de Operações de Socorro de Santarém (CDOS) também se fez representar ao mais alto nível com a presença do seu Comandante. Mário Silvestre fez questão de agradecer aos Bombeiros de Alcanede “o empenho e abnegação que têm demonstrado ao longo destes anos, ao fazerem de forma cabal e profissional” as muitas e diversas ocorrências “que se verificaram na sua área de atuação e em outras zonas do distrito e do País”, referiu.

Perante as situações meteorológicas, cada vez mais extremas, o Comandante Distrital salientou que “os Bombeiros de Alcanede estão à altura das exigências” e que o efetivo, “apoiado pelos novos bombeiros, cadetes, aspirantes e infantes”, e pelo saber dos “mais antigos e dos seus elementos de comando, são uma mais valia para o concelho de Santarém e para todos os cidadãos do distrito de Santarém”, afirmou.

O recém empossado Comandante dos B.V.A mereceu, da parte do CDOS, uma referência especial, “(…) poderá sempre contar comigo e com o Comando Distrital de Operações de Socorro de Santarém para o ajudar no que entender por necessário, para o ajudar na dura missão que hoje abraçou”, destacou Mário Silvestre, ao mesmo tempo que lançou um apelo ao corpo ativo Alcanedense, “trabalhem com o vosso novo comandante de forma estreita e considerem-no como um de vós”, como alguém que, “apesar de ser proveniente de outro corpo de bombeiros, começou como aspirante e atingiu esta nova posição”, disse.

No uso da palavra, a Presidente da Junta de Freguesia de Alcanede, deixou também uma mensagem especial a todos os “bombeiros e dirigentes que fizeram nascer esta casa”, lembrando que, “mais do que uma associação”, os que fazem parte dos B.V.A “são uma família”, ressalvou.

A Junta de Freguesia de Alcanede, segundo Cristina Neves, “esteve sempre ao lado e ao serviço desta instituição e continuará a estar”, mostrando disponibilidade para “colaborar com tudo o que o nosso novo Comandante precisar da nossa parte”, afirmou.

A autarca salientou ainda que, “quando se fala de bombeiros é necessário falar do valor do tempo de cada um”, sublinhando que, “quando um bombeiro abraça a causa do voluntariado, além do risco da sua própria vida, é o seu tempo que coloca ao serviço dos outros”, enalteceu Cristina Neves.

Coube ao Presidente da Câmara Municipal de Santarém (C.M.S) encerrar a cerimónia solene das comemorações de mais um aniversário dos Bombeiros Voluntários de Alcanede. Para Ricardo Gonçalves, “são 19 anos de muito trabalho, árduo, e sempre em prol das populações de Alcanede, Gançaria e das freguesias vizinhas”, destacou.

O autarca reforçou a ideia de que os B.V.A “têm demonstrado, ao longo da sua existência, que os sonhos se podem alcançar” e que o quartel da instituição “é o exemplo disso mesmo, com a ajuda, vontade e crer da população e empresários”, realçou.

Ciente das dificuldades financeiras atuais, Ricardo Gonçalves, considerou “de extrema importância o diálogo que temos conseguido desenvolver entre todos”, através de várias reuniões promovidas “com todos os comandantes e diretores”, ouvindo “de viva voz as suas aspirações e transmitindo a importância da necessidade de desenvolver um importante trabalho de equipa”, disse.

Segundo o Presidente da C.M.S, a autarquia “orgulha-se de manter uma relação de estreita parceria, colaboração e respeito mútuo” que constitui, “não tenho dúvidas, uma importante mais valia para a população desta freguesia e de Santarém”, afirmou Ricardo Gonçalves, lembrando ainda, que o assinalar da efeméride, em Alcanede, “é uma justa homenagem a todos os que, ao longo de 19 anos, ajudaram a manter vivo o desempenho da mais nobre das missões, servir o próximo com risco da própria vida”, concluiu.

Além de Filipe Regueira, Fernando Azinheira, Vítor Bertelo, Mário Silvestre, Cristina Neves e Ricardo Gonçalves, fizeram parte da mesa de honra: Artur Duarte (Presidente da AG da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Alcanede); Manuel Joaquim Vieira (em representação da Assembleia Municipal de Santarém) e Joaquim Duarte Aniceto (Presidente da Junta de Freguesia de Gançaria), cabendo ao bombeiro Luís Martins, a apresentação do ato solene.

Depois dos discursos, procedeu-se à bênção de duas viaturas que vieram reforçar o parque automóvel e operativo dos B.V.A. Um ato presidido pelo Padre Tiago Pires e que teve como padrinhos: Sérgio Miguel Costa Monsanto, que ofereceu uma ambulância aos bombeiros de Alcanede, e Luís Miguel Coelho Vieira, que apadrinhou o Veículo Florestal, pelo seu contributo através da oferta de todo trabalho de chaparia e pintura. Exemplos a seguir.

As comemorações do 19º Aniversário da corporação Alcanedense terminaram com um almoço convívio, no qual o Portal de Alcanede também participou, sendo de enaltecer o trabalho de todas as pessoas que confecionaram as extraordinárias iguarias, desde o porco no espeto à sopa da pedra, passando pelos frios, salgados e doces.


fonte: Portal Alcanede