22 fevereiro 2014

Sete bombeiros distinguidos pelo Governo a título póstumo

Sete bombeiros foram distinguidos, a título póstumo, com a medalha de mérito de proteção e socorro, no grau ouro e distintivo azul, segundo os despachos do ministro da Administração Interna publicados em "Diário da República", esta sexta-feira.

Na lista de distinções está Fernando Manuel Sousa Reis, António Nuno Joaquim Ferreira, Cátia Pereira Dias, Daniel Alexandre Preto Falcão, Pedro Miguel Jesus Rodrigues, Bernardo Albuquerque de Vasconcelos Figueiredo e Ana Rita Abreu Pereira, que morreram no combate a incêndios no verão do ano passado.

Os despachos frisam como os bombeiros nortearam a sua "conduta, em prol do ideal de serviço à comunidade, com espírito voluntarioso, competente e afável, tendo granjeado, desde sempre, a simpatia, a amizade e respeito dos seus camaradas e também do público que, pela sua função no corpo de bombeiros", os "conhecia e respeitava".

Fernando Reis era bombeiro voluntário em Valença e morreu a 5 de setembro, no combate a um fogo no lugar de Melim, enquanto António Ferreira e Daniel Falcão eram bombeiros de Mirando do Corvo e faleceram no lugar de Cicouro.

Cátia Dias morreu a 29 de agosto ao serviço da corporação de Carregal do Sal, na Serra do Caramulo.

Dos Bombeiros Voluntários do Estoril foi distinguido Bernardo Figueiredo, que morreu a 28 de agosto num acidente ocorrido com um grupo de reforço do distrito de Lisboa, a 22 de agosto, durante as operações de combate a um fogo no concelho de Tondela, onde também morreu Ana Rita Pereira, dos bombeiros de Alcabideche.

Pedro Miguel Rodrigues era bombeiro voluntário na Covilhã e morreu a 15 de agosto de 2013 no combate ao fogo no lugar de Coutada.

Os despachos do ministro Miguel Macedo referem, ainda, que estas mortes privaram a "sociedade portuguesa" de cidadãos dotados de "elevadas qualidades pessoais", que sempre souberam "conduzir a sua ação na proteção das pessoas, do património e do ambiente de forma notavelmente solidária, devotando muito do seu tempo e, por fim, a própria vida para os proteger e socorrer".

Ao longo dos anos de serviço, estes bombeiros souberam "cumprir as missões que lhes foram confiadas, com grande abnegação, invulgar apego e dedicação, nunca descurando os seus deveres, tendo-se distinguido pela competência e profissionalismo, prestando dessa forma serviços muito meritórios para o país".



fonte: JN