28 fevereiro 2014

O "Modelo" está Falido

Ainda que com 'outras realidades', é possível reconhecer algumas similaridades no nosso actual sistema, particularmente, no que concerne à gestão e/ou despacho de meios.

Seria interessante percebermos, COM RIGOR E CLARIVIDÊNCIA, de que forma decorrem este processos, em Portugal.

Perguntas simples, do tipo como, quando, onde e porquê, gerariam bastante controvérsia nas respostas.

Poderíamos, ainda, questionar os critérios de activação, o planeamento prévio (e não o, meramente, reactivo), a sustentação das operações (vulgo logística), o custo de cada intervenção vs o custo de uma não intervenção, o custo de um 'GRIF', de um 'GRUATA' e/ou dos meios aéreos, quando mobilizados e/ou empenhados em timmings e/ou localizações erradas, entre imensos outros aspectos que, deveriam cada vez mais assumir uma especial relevância no pretenso sistema de Gestão de Emergências.

E isto, apenas, no que se reporta aos Incêndios Florestais.

O 'modelo' está falido.

NOTE: O 'SGO' ainda é um 'aspirante'.

Para reflexão...

Firefighter: We could have put out Yarnell Hill Fire on Day One
(Clique para Abrir)



João Canas