21 fevereiro 2014

Campanha de reflorestação quer voltar a "pintar" de verde a Serra do Caramulo



Seis mil árvores vão ser plantadas na Serra do Caramulo no dia 22 de março, no âmbito de uma campanha de reflorestação hoje lançada em Tondela e que pretende devolver o verde "roubado" pelos incêndios do verão passado.

"Plantar o Caramulo" é o nome do projeto que visa reflorestar as áreas públicas ardidas na serra e que tem a sua primeira iniciativa marcada para a manhã de 22 de março.

"Queremos com esta ação congregar um conjunto de movimentos cívicos, de voluntariado, que foram surgindo ao longo destes últimos tempos" na sequência do "grande drama dos incêndios do Caramulo", justificou, em conferência de imprensa, a vereadora da Câmara de Tondela Carla Pires.

Carla Pires lembrou que, dos concelhos abrangidos pela Serra do Caramulo, o de Tondela foi o mais afetado pelos incêndios no verão passado.

A autarquia terá vários parceiros neste projeto, como as Juntas de Freguesias, o Agrupamento de Escolas Tomás Ribeiro, os bombeiros, o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas, a Autoridade Nacional de Proteção Civil e o Regimento de Infantaria 14.

Segundo a vereadora, estão disponíveis para a plantação cerca de seis hectares de área ardida, onde serão colocadas as espécies consideradas adequadas a estas zonas, nomeadamente o carvalho português, a bétula, o medronheiro e a "pseudotsuga".

Estão definidos locais de plantação na área da União de Freguesias de São João do Monte e Mosteirinho (as envolventes à capela da Abóboda e à capela do Castelo), da freguesia do Guardão (Cadraço, Carvalhinho, posto de vigia e Casa do Guarda), da União de Freguesias de Caparrosa e Silvares (Souto Bom e Silvares) e de Santiago de Besteiros (Monte de São Marcos).

O projeto "Plantar o Caramulo" tem a partir de hoje disponível uma plataforma digital, onde todos os interessados se podem registar como voluntários, escolher a área que pretendem reflorestar e conhecer os respetivos pontos de encontro do dia 22 de março.

"Pensamos que é um veículo agregador e congregador dos vários movimentos e que vai ser fundamental para que esta seja uma ação da qual todos nos vamos orgulhar", frisou Carla Pires.

O presidente da Câmara de Tondela, José António Jesus, avançou que os esforços não estão só concentrados no dia 22 de março, estando também já marcado um seminário para o dia 08 sobre a temática da revalorização patrimonial da Serra do Caramulo.

Além disso, o autarca garantiu que a ação de reflorestação não se esgotará no dia 22 de março.

"As áreas referidas ficarão licenciadas para plantações de movimentos cívicos, de grupos organizados ou não, para um período de dois anos", explicou, acrescentando que a plataforma digital permitirá "contabilizar todos os agentes disponíveis e afetar-lhes os recursos necessários às várias áreas de plantação".

José António Jesus contou que a Câmara investiu muito tempo em reuniões para garantir que "não haja uma reflorestação que não seja ordenada, que não respeite a biodiversidade e que não assegure que o plano municipal de defesa contra a floresta seja aqui também implementado".

"Não queremos soluções milagrosas e urgentes, queremos soluções sustentáveis e duradouras. A tragédia que aconteceu no Caramulo merece todo este envolvimento", considerou.

Fonte: RTP