28 dezembro 2013

Bombeiros, sempre Bombeiros

Desde que me lembro, é o primeiro aniversário da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Águeda a que não compareço.

Independentemente das razões que me impedem de estar aí hoje, com mais de metade da minha vida aí passada (desde os 13 anos), jamais vos conseguirei transmitir por palavras o que estou a sentir neste momento.
Ver o meu avô a passar, ao toque de sirene, da varanda da minha casa, sempre me encheu de orgulho. Foi ele a pessoa mais importante da minha vida e minha inspiração, que me fez sentir, acreditar e apaixonar, por esta causa e por esta casa.
Tenho a certeza que também o fez com muitos de vocês!
Aproveito para, aqui, lhe prestar uma singela homenagem. OBRIGADO, CHEFE CANAS! Foste um exemplo!
O lema Vida por Vida sempre foi algo que me fascinou, desde bem cedo. Como poderia alguém dar a vida por outro alguém? Esse lema foi, sempre, nobremente evocado no seio dos BVA.
Esse lema pagou-se de forma bem cara, aquando do incêndio-catástrofe de 14 de Junho de 1986, ou no acidente a 5 de Outubro de 1992 - que ainda hoje tanto nos marca.
Esse lema que, durante a história, foi assolado por momentos bastante negros, vividos aqui e um pouco por todo o país. Esse lema, voltou tragicamente este ano, a atingir os esforçados e dedicados Bombeiros de Portugal.
Acreditem ou não, consegui ‘ouvir’ e sentir o arrepio do toque de sirene a ‘chorar’ (tal como eu) esta manhã, durante o tributo aos camaradas falecidos.
Cada vez que morre um(a) bombeiro(a), a sociedade, o país e o mundo ficam mais pobres.
A importância dada aos bombeiros pelos governantes e demais decisores políticos, assim como pela sociedade, em geral, reflecte-se no reconhecimento (ou falta dele). Dia após dia, noite após noite, 24 horas por dia, 365(6) dias por ano, durante toda a vida ...
Na grande maioria das vezes, um agradecimento faz toda a diferença! Outras alturas, porém, o(a) cidadão(a) bombeiro(a) merece muito mais! Sobretudo, respeito! Consideração! Reconhecimento! Atenção!
Isto, para não falar de alguma protecção social ou de seguros sérios e verdadeiramente compatíveis com o risco e as missões que nos incumbem diariamente. Assuntos para outra altura.
Muitas das palavras bonitas (que cresci a ouvir), tais como abnegação, coragem, dedicação, esforço, humildade, entre muitas outras, e depois ler inúmeros ofícios a terminar com um “queremos ser um só” ou mesmo “A bem da humanidade”, fizeram-me pensar e sentir esta causa, na sua forma mais pura e íntegra. 
Fizeram-me acreditar que poderíamos fazer um mundo melhor. Ainda hoje acredito nisso. SOMOS AQUILO EM QUE ACREDITAMOS! No entanto, tambem é preciso SENTIR!
Com uma crise de valores de tal forma instalada (e talvez esta esteja por detrás da outra), aquilo que acontece diariamente ao nosso redor reflecte uma tremenda falta de sensibilidade, da parte da maioria da sociedade.
Para além das muitas festas, saraus, programas de TV, rádio e afins, que se promoveram pelo país fora (com todo o respeito pelos promotores, patrocinadores e participantes), neste preciso momento existem uns quantos corações que choram todos os que partiram.
Para mim, tornou-se claro (há já algum tempo) que o lema VIDA POR VIDA deve ser poder dar a vida, mas sem a perder. Ou seja, dedicando a nossa vida (ou grande parte dela) a esta causa, dando a nossa vida a um bem comum. Espero que assim possa continuar a ser, durante muitos anos.
Nenhuma outra actividade ou sector da nossa sociedade oferece tanto, sem ter nada em troca. Literalmente!
Que, de uma vez por todas, os nossos decisores políticos e sociedade, em geral, reconheçam e respeitem os BOMBEIROS, de forma efectiva.
O que todos sentimos este ano, especialmente durante a nossa “volta a Portugal” a combater incêndios florestais, um pouco por todo o país, foi uma total falta de apoio. Sobretudo das estruturas aficiais. As que nos dizem representar e defender.
Assim sendo, o que mais poderia pedir a quem de direito senão um verdadeiro e efectivo respeito por todos aqueles, e aquelas, que todos os dias zelam pelo bem estar e pela segurança dos demais concidadãos?
Contínua e diariamente (e não apenas no verão ou em momentos mais críticos ou até mesmol nos festivos).
Não sob a forma de subsídios, como se atribuem a outras associações.
O socorro às populações do concelho é feito pelos Bombeiros de Águeda (com a devida salvaguarda a um ou outro agente de protecção civil que connosco tem cooperado). Invistam nos BOMBEIROS aquilo que eles precisam e, acima de tudo, aquilo que eles MERECEM! (e exija-se em conformidade).
De certeza que, aí, teremos as bases para sermos o melhor Corpo de Bombeiros do país.
Volvidos todos estes anos, desde a minha admissão oficial no Corpo de Bombeiros Voluntários de Águeda, um corte quase umbilical com a casa onde cresci, aprendi, convivi, ri, chorei, senti, evoluí (entre tantas outras coisas), e onde desenvolvi grande parte do que hoje sou, junto de pessoas de todas as faixas etárias e oriundas dos mais diversos estratos sociais, foi, e será sempre, algo profundamente marcante, no meu ser.
Obrigado a todos e a todas, sem excepção!
Todos puderam testemunhar a minha profunda emoção, aquando da minha despedida, neste mesmo salão nobre. Orgulho-me de todas as lágrimas que verti. Guardo todos os vossos abraços. Tenho-vos no meu coração.
Obrigado por terem estado presentes! Obrigado por terem estado ao meu lado! Obrigado, também, a todos os que estiveram (corpo activo, direcção, funcionários, familiares e amigos), na festa-convívio que me prepararam a 11 de Outubro.
Mesmo sem a minha presença, espero que tenham celebrado convenientemente. Espero, também, poder cumprir a promessa feita, tão breve quanto possível (os mais atentos saberão do que falo).
Por último, dizer aos representantes máximos desta casa, presidente e comandante, especialmente num momento tão conturbado, sob ponto de vista social e porque as estruturas oficiais se estão a demarcar cada vez mais: OLHEM PELOS BOMBEIROS DE AGUEDA!
Aos bombeiros e bombeiras: façam sempre o vosso melhor! Nao dêm pedras aos outros para que estes vos possam atirar! Sejam um exemplo! Não somos melhores que ninguém, mas devemos pretender ser! 
Forte e sentido abraço!
Votos de uma excelente época festiva e de um 2014 feliz e em segurança.

Por: João Canas
In: Soberania do Povo