24 setembro 2016

Incêndio em hotel na Zambujeira do Mar mobiliza várias corporações de bombeiros

Fogo terá começado na zona de restauração do complexo turístico. Autoridades estão a evacuar as instalações do empreendimento.


Um violento incêndio está a atingir na tarde deste sábado o resort Zmar Eco Campo instalado a cerca de dez quilómetros da Zambujeira do Mar. A GNR de Odemira foi alertada pelas 17h45, confirmou aquela autoridade ao PÚBLICO, sendo que pelas 18h30 o fogo continuava a lavrar. 
O oficial de serviço no Comando Geral da GNR, em Lisboa, confirmou ter informações que apontam no sentido do incêndio ter começado na zona de restauração e garantiu também que as autoridades estão a evacuar diversos hóspedes que estavam alojados em zonas próximas do fogo, como medida de precaução. Vários corpos de bombeiros foram enviados para o local.

Fonte: Público

08 setembro 2016

Peso pesado dos aviões de combate a incêndios já está a operar em Monchique

Um avião Beriev, o peso pesado dos aviões de combate a incêndios, está desde o início da manhã a combater o incêndio de Monchique, fazendo em cada voo descargas de água de até 12 mil litros, a capacidade máxima do aparelho anfíbio produzido na Rússia.

O avião em causa é um dos aparelhos cedidos pela Rússia a Portugal para ajudar no combate aos incêndios e tem um comprimento de 32 metros e uma envergadura total de 32,8 metros, pesando umas imponentes 27 toneladas quando vazio.

Beriev pode abastecer no mar com ondas de até 1,2 metros de altura

O Beriev pode operar com velocidades até 720 quilómetros/hora e abastece os depósitos de água em escassos 14 segundos, podendo operar o abastecimento no mar com ondulação até 1,2 metros de altura.

De acordo com o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) a altura da ondulação prevista para a costa do Algarve é hoje de um metro, o que permitirá – caso haja necessidade – o abastecimento com água do mar, uma solução que poderá vir a ser adoptada como recurso em caso e de dificuldade no abastecimento em albufeiras de água doce.

O envio da aeronave de pavilhão russo para o incêndio de Monchique foi confirmada à Agência Lusa pelo adjunto operacional da Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC), Marco Martins.

Vento forte pode complicar operações dos bombeiros

De acordo com os dados do IPMA, o vento que se faz sentir na zona de Monchique (40,3 quilómetros/hora), pode ser um factor negativo no combate ao incêndio que resulta de um reacendimento verificado ao fim da tarde de ontem. Recorde-se que durante a madrugada os ventos na Fóia chegaram a atingir valores superiores a 52 quilómetros/hora.

Já a humidade relativa do ar, superior a 80% é uma ajuda, ao mesmo tempo que a temperatura ( a rondar os 18 graus na última informação disponível, às 10 horas da manhã) poderá não atingir valores, ao longo das horas mais quentes do dia, que ponham ‘mais achas na fogueira’ do flagelo que se abate sobre a serra algarvia e as suas populações. Para o IPMA a temperatura naquela área do Algarve poderá atingir hoje máximas de 25 graus centígrados.

Fogo a caminho de Portimão com 405 homens a ajudar no combate

Conforme o POSTAL noticiou hoje às primeiras horas da manhã, o fogo de Monchique tem duas frentes activas e “está a progredir intensamente para Sul, em direcção ao concelho de Portimão”, disse ao POSTAL fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Faro.

Segundo fonte contactada pela agência Lusa, o fogo está a lavrar “em áreas de difícil acesso”, e o forte vento que se faz sentir na zona “dificulta o combate e faz com que o fogo progrida rapidamente”.

De momento não há casas em risco, sendo a prioridade dos bombeiros direccionada para a segurança de pessoas e do seu património, adiantou a fonte.

Segundo o site da Autoridade Nacional de Protecção Civil, no local estão, neste momento, 281 bombeiros com 87 viaturas, 27 militares dos GIPs da GNR com seis veículos e cinco operacionais da Força Especial de Bombeiros com uma viatura. A somar a estes meios a GNR tem no local seis homens e três viaturas e o INEM outros tantos meios operacionais.

Ao todo sete meios aéreos combatem o incêndio, quatro ligeiros, dois médios e um pesado, o Beriev.

Ao esforço total de meios envolvidos somam-se ainda 76 outros operacionais e mais 34 meios técnicos, num total de 405 meios humanos e 136 meios técnicos.

Fonte: POSTAL.PT

05 setembro 2016

Homem morre de ataque cardíaco ao ver fogo aproximar-se

Um homem de 86 anos morreu, este domingo à tarde, vítima de ataque cardíaco, quando o fogo se aproximava da sua casa, em Pousadouro, freguesia de Tabuaças, Viera do Minho.

Almeno Barroso era reformado da PSP e morreu pelas 16 horas. O óbito foi declarado já no local por uma equipa da Viatura Médica de Emergência e Reanimação (VMER) do INEM oriunda do Hospital de Braga.

O incêndio florestal acabou por não atingir as traseiras da sua residência, dada a pronta ação dos Bombeiros Voluntários de Vieira do Minho, auxiliados por dois helicópteros.

Fonte: JN

04 setembro 2016

Bombeiros tentam socorrer jovem que caiu em escarpa do rio Corgo

Os bombeiros de Cruz Verde estão a tentar retirar uma jovem que caiu numa escarpa do rio Corgo em Vila Real, disse à Lusa fonte do Comando Distrital de Operações e Socorro (CDOS) de Vila Real.


O alerta foi dado pelas 17:32 e para o local foram acionados meios dos Bombeiros Voluntários da Cruz Verde, Cruz Branca, Viatura Médica de Emergência e Reanimação (VMER) de Vila Real e PSP.

Pelas 20:00 a equipa de resgate dos bombeiros de Cruz Verde ainda tentava retirar a vítima do local de "acesso difícil", confirmou à Lusa a PSP de Vila Real que foi alertada por hóspedes do Hotel Miracorgo que ouviram gritos.

A jovem ter-se-á mantido consciente durante toda a operação.

Fonte: Notícias ao Minuto

03 setembro 2016

Mulher morre após queda em poço

Uma mulher com cerca de 65 anos de idade morreu, este sábado, após ter caído num poço, em Santa Catarina da Serra, concelho de Leiria.

Segundo fonte da GNR, o acidente terá ocorrido por volta das 8.00 horas, quando a mulher auxiliava "o marido na reconstrução de um poço".
O óbito foi confirmado no local tendo o cadáver sido transportado para o gabinete do Instituto Nacional de Medicina Legal em Leiria, acrescentou.
De acordo com fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Leiria, estiveram no local dez operacionais da GNR, Bombeiros Voluntários de Leiria e Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), com quatro viaturas.

Fonte: JN

Incêndio em Valongo próximo de habitações

Mais de 80 operacionais estão a combater um incêndio de grandes dimensões em Valongo, com uma das frentes a dirigir-se a uma zona habitacional, disse fonte dos bombeiros no local.

Ao início da tarde os bombeiros de Valongo foram alertados para seis incêndios simultâneos, dois dos quais acabaram por se fundir na zona de Paço, lugar onde está montado o posto de comando.

Uma das frentes do incêndio chegou mesmo a aproximar-se de algumas habitações, tendo ardido apenas um anexo, estando essa situação já controlada.

Pelas 18.15 encontravam-se no local 81 operacionais das corporações de Valongo, Ermesinde, Areosa, Gondomar, Lordelo, Baltar, Rebordosa e Leça do Balio, apoiados por 21 veículos.

"Os acessos difíceis estão a dificultar o combate às chamas", relatou um dos operacionais no posto de comando, segundo o qual uma das frentes está a dirigir-se para um bairro social em Valongo e outra aproxima-se de uma zona industrial.

Junto à zona habitacional foi já preparado um perímetro de combate às chamas.

A Autoridade Nacional de Proteção Civil registava, às 18:38, 68 ocorrências ativas, que mobilizavam um total 1.101 operacionais, apoiados por 322 viaturas e 16 meios aéreos, sendo o incêndio no concelho de Valongo o único sob a designação de "ocorrências importantes".

Fonte: JN

Pai e filho resgatados de poço com cerca de 15 metros

Bombeiros resgataram com vida, pai e filho, do interior de um poço em Requião, Famalicão.

O pai, de 48 anos, sofreu ferimentos ligeiros e um vizinho, de 18 anos, que auxiliou o resgate, sofreu queimaduras nas mãos. O filho de 20 anos não ficou ferido.

Tudo aconteceu por volta das 13.20 horas deste sábado quando o homem estaria a tentar retirar o motor do interior do poço e por razões ainda desconhecidas caiu. Em seu auxílio foi o filho que terá descido para o interior do poço.

"Comecei a ouvir gritos mas inicialmente pensei que eram crianças, só posteriormente me apercebi que eram gritos de aflição de uma mulher", contou, ao JN, uma vizinha das vítimas.

Contudo, as equipas de socorro acabaram por resgatar pai e filho do interior do poço com cerca de 15 metros de profundidade. Um vizinho, que ajudou as operações de resgate, sofreu queimaduras nas mãos e foi ao hospital.

"O poço tinha água mas não em quantidade suficiente para pôr em risco a vida das vítimas", adiantou Sério gomes, adjunto do comando dos Bombeiros de Famalicão.

No local estiveram os Bombeiros de Famalicão, os Famalicenses e ainda a SIV de Santo Tirso.

Fonte: JN